BLOG

Notícias, Dicas e Curiosidades sobre Tecnologia e Meio Digital

14 jogos leves e divertidos para celular Android e iPhone

Confira quatorze jogos mobile para usuários que têm aparelhos menos potentes ou que precisam economizar espaço na memória

Jogos para celulares Android e iPhone (iOS) têm se tornado cada vez mais elaborados, porém ainda há uma parcela do público que não tem aparelhos potentes o suficiente para esses games. Títulos como Angry Birds e Helix Jump são simples e não precisam de um celular potente para funcionarem. Veja, a seguir, uma lista de jogos mobile mais leves tanto para usuários que têm aparelhos mais antigos ou simplesmente para aqueles que preferem experiências mais tranquilas.

Vortex Chain

Colorido, divertido e super desafiador. Vortex Chain é um jogo de nave bem diferente, onde você poderá controlar até 4 naves ao mesmo tempo e deverá destruir ou se esquivar dos obstáculos que estiverem em seu caminho. Desenvolvido por Lascante Games. Disponível para download em: Google Play

Vortex Chain
Foto: Reprodução/Google Play

Crossy Road

Inspirado no antigo título Frogger lançado para fliperamas e Atari 2600, Crossy Road é um game de jogabilidade simples no qual seu objetivo é atravessar um longo trajeto com uma galinha ou outros personagens. Com um controle acessível que pode ser manuseado com apenas uma mão, Crossy Road requer reflexos e paciência para esperar o melhor momento de cruzar uma área perigosa sem cair na água ou acabar atropelado. Há ainda uma versão com personagens da Disney chamada de Disney Crossy Road.

Crossy Road traz de volta o conceito do clássico Frogger com muita diversão — Foto: Reprodução/Google Play
Crossy Road traz de volta o conceito do clássico Frogger com muita diversão — Foto: Reprodução/Google Play

Pocket Mortys

Baseado na popular série animada Rick & Morty, Pocket Mortys brinca com o infinito multiverso da franquia no qual existem várias versões de Mortys. O game é um RPG paródia dos jogos de Pokémon, especialmente dos clássicos games do GameBoy, com uma pitada extra do tradicional humor de Rick para apimentar.

Em Pocket Mortys jogadores podem reunir Mortys como se fossem Pokémon — Foto: Reprodução/Google Play

Em Pocket Mortys jogadores podem reunir Mortys como se fossem Pokémon — Foto: Reprodução/Google Play

Gun Polygon

Gun Polygon é tanto um jogo de quebra-cabeça quanto um jogo de tiro. Você tem que atirar no polígonos que estão caindo para impedir que eles toquem a linha vermelha na base da tela, mas você só conseguirá destruí-los se sua arma estiver com a mesma cor que eles. Desenvolvido por Lascante Games. Disponível para download em: Google Play

Foto: Reprodução/Google Play

Robot Unicorn Attack

Um clássico da época dos games em flash do Cartoon Network, Robot Unicorn Attack é um jogo de corrida infinita no qual o jogador controla um unicórnio e precisa desviar de obstáculos ou destrui-los. A jogabilidade e trilha sonora são especialmente viciantes e quanto mais o usuário avança, mais rápido fica o ritmo.

Robot Unicorn Attack traz um charme especial para os games de corrida infinita — Foto: Reprodução/Google Play
Robot Unicorn Attack traz um charme especial para os games de corrida infinita — Foto: Reprodução/Google Play

Stranger Things The Game

A série da Netflix que se passa nos anos 80 ganhou um divertido jogo gratuito para smartphones que também se inspira bastante nessa época. Com gráficos retrô e uma jogabilidade que lembra alguns dos maiores clássicos do Nintendo 8 Bits, Stranger Things The Game reconta alguns dos mais importantes momentos da série com uma dose de combate e quebra-cabeças que remete a The Legend of Zelda.

Baseado na série da Netflix, o game de Stranger Things presta homenagens aos clássicos dos 8 Bits — Foto: Reprodução/Google Play
Baseado na série da Netflix, o game de Stranger Things presta homenagens aos clássicos dos 8 Bits — Foto: Reprodução/Google Play

Tree Rush

Este pequeno robô tem a importante missão de coletar o máximo de árvores que conseguir. Infelizmente, o lugar para o qual ele foi enviado é extremamente perigoso. A razão para isso é a presença de inúmeras e estranhas shurikens que podem impedi-lo de completar a missão. Desenvolvido por Lascante Games. Disponível para download em: Google Play.

Foto: Reprodução/Google Play

CodyCross

O game de palavras cruzadas CodyCross oferece uma opção leve de diversão com um extra de informação e curiosidades. Assim como em um jogo tradicional de palavras cruzadas, é preciso responder uma pergunta preenchendo quadrados com as letras de uma palavra. A grande diferença é que, se o jogador não souber uma resposta, ele não ficará totalmente travado, pois acertar outras palavras irá desbloquear algumas letras em outras linhas para servir de dica.

CodyCross é uma divertida evolução das palavras cruzadas que testa seu conhecimento e ajuda a aprender — Foto: Reprodução/Google Play
CodyCross é uma divertida evolução das palavras cruzadas que testa seu conhecimento e ajuda a aprender — Foto: Reprodução/Google Play

Angry Birds Classic

Um dos mais conhecidos jogos para smartphones, a franquia Angry Birds ganhou sua popularidade graças a uma divertida jogabilidade de física aliada a um bom desafio e pássaros zangados com diferentes poderes. A versão Classic traz o primeiro game da série, que deu início à febre, porém as sequências e spin-offs como Angry Birds 2Angry Birds SeasonsAngry Birds Star Wars também são boas opções de jogos leves.

Angry Birds Classic lembra aos jogadores o motivo da franquia ter se tornado tão popular — Foto: Reprodução/ZC-Infinity Reviews
Angry Birds Classic lembra aos jogadores o motivo da franquia ter se tornado tão popular — Foto: Reprodução/ZC-Infinity Reviews

Kalculia

Um jogo simples com cálculos de matemática simples envolvendo as operações básicas. Pratique a tabuada e melhore suas habilidades em matemática de uma forma desafiadora e divertida. Desenvolvido por Lascante Games. Disponível para download em: Google Play.

Foto: Reprodução/Google Play

Helix Jump

Um dos games mais simples e viciantes da lista, Helix Jump conta com uma mecânica fácil de jogar na qual basta abrir o caminho para uma bola cair através de discos. O desafio fica por conta de desviar de partes do trajeto que encerram sua jornada e causar grandes combos ao atravessar vários discos em sequência.

Helix Jump é um jogo extremamente simples mas profundamente viciante — Foto: Reprodução/Google Play
Helix Jump é um jogo extremamente simples mas profundamente viciante — Foto: Reprodução/Google Play

Magikarp Jump

Atualmente há vários games de Pokémon disponíveis para smartphones como Pokémon GOPokémon Quest e Pokémon Duel, porém muitas vezes usuários esquecem um dos primeiros lançados: Magikarp Jump. Conhecido por ser o pokémon mais fraco e inútil da série, aqui os Magikarps têm todo o carinho que nunca receberam nos outros jogos. Usuários poderão criar seus próprios Magikarps e treiná-los para serem os melhores em saltos.

Magikarp Jump coloca um dos Pokémon mais inúteis da série em destaque para muita diversão — Foto: Reprodução/Google Play
Magikarp Jump coloca um dos Pokémon mais inúteis da série em destaque para muita diversão — Foto: Reprodução/Google Play

Plants vs. Zombies 2

Após o sucesso do primeiro jogo, Plants vs. Zombies 2 expandiu o alcance dos combates entre as plantas e os zumbis com um divertido elemento de viagem no tempo. Agora além de enfrentar diferentes tipos de mortos-vivos por fases semelhantes, é possível visitar vários cenários e reunir um time mais forte com plantas especiais para quando tiver alguma dificuldade.

Plants vs. Zombies 2 traz uma variedade ainda maior que o primeiro graças à viagem no tempo — Foto: Reprodução/Google Play
Plants vs. Zombies 2 traz uma variedade ainda maior que o primeiro graças à viagem no tempo — Foto: Reprodução/Google Play

PixelPuzzle

Um inesperado game gratuito da Konami, PixelPuzzle traz a tradicional mecânica de "Picross" para os smartphones enquanto utiliza gráficos dos jogos clássicos da empresa. Em jogos de Picross seu objetivo é interpretar números para descobrir como preencher linhas com pontos e desvendar a posição deles ao combinar as informações das linhas horizontais e verticais.

PixelPuzzle oferece um Picross gratuito com gráficos de games clássicos da Konami — Foto: Reprodução/Google Play
PixelPuzzle oferece um Picross gratuito com gráficos de games clássicos da Konami — Foto: Reprodução/Google Play

Qual o seu jogo online preferido? Comente!

Como colocar uma barra de música no Google Chrome

Acabaram os dias de inúmeras guias com alguma música tocando, se estressar ou perder tempo procurando a origem; novo recurso do Chrome permite parar, continuar, avançar ou voltar a música.

A situação provavelmente já aconteceu com você: existem inúmeras abas abertas no Chrome e uma delas está tocando uma música, ou rodando um vídeo. Isso não seria um problema se você, por exemplo, quisesse parar de ouvir aquele som. Para silenciar o incômodo, é preciso caçar de qual guia está vindo o som. Não mais, agora o Google criou um novo botão para o desktop que permite pausar (e tocar) músicas e vídeos a partir de qualquer aba que você esteja navegando no momento.

A nova função ainda está em fase experimental. A seguir, veja um passo a passo para aproveitar este recurso, mas em primeiro lugar lembre de ter a última versão do Chrome atualizada:

  1. Com o Chrome aberto, selecione os três pontinhos no canto superior à direita
  2. Selecione Ajuda e depois ‘Sobre o Google Chrome’. Se aparecer que o Google está atualizado, você pode pular esta fase; caso não, clique para atualizar – só fique atento se você salvou tudo o que estava usando no chrome, pois ele irá reinicia-lo

Habilitar o botão de pausa e play

  1. Abra o Chrome e procure chrome://flags/ na barra de url
  2. Dentro da seção search flags, procure Global Media Controls
  3. Na caixa suspensa à direita, escolha Enabled
Reprodução
  1. Clique em Relaunch Now. Novamente, tenha certeza de que você está com tudo salvo, pois isso vai resetar seu navegador
  2. Agora você vai ter uma barra de player na parte de baixo da sua barra de ferramentas.

Testando

Reprodução

  1. Abra um site como o YouTube ou o Spotify Web Player no seu navegador e selecione uma música ou um vídeo para testar
  2. Quando você clicar em pausar, clique novamente no botão de play
  3. Uma caixa irá aparecer, te mostrando a música ou vídeo que está atualmente tocando. Clique no botão de pausa
  4. Clique no botão play para continuar ouvindo. Existe também uma opção de avançar e voltar.

Fonte: Olhar Digital

Windows 10X deve ser o sistema da Microsoft para híbridos

Surpreendentemente, um novo Windows 10 deve surgir das mãos da Microsoft. Destinado a dispositivos com duas telas ou híbridos, o vazado Windows 10X utilizaria técnicas para valorizar a performance do aparelho.

02/10/2019 às 12:00 1 min de leitura (TecMundo)

Igor Almenara Carneiro via nexperts

O rumor, vazado por Evan Blass no Twitter, parece fazer sentido quando lembramos dos notebooks anteriormente vazados. Evan Blass alegou que a Microsoft tem planos de lançar um aparelho com duas telas "dobráveis", batizado "Project Centauros", e seguir com sua linha Surface Pro — agora, com o Surface Pro 7 — e outro híbrido do Surface Pro 7 alimentado por um chip ARM.

Vazamento relatado por Evan Blass. (Fonte: TechRadar/Reprodução)

Em conjunto com esses lançamentos, a Microsoft adicionaria uma versão única do sistema operacional especialmente preparada para esses tipos de aparelhos. Embora a “versão tablet” do Windows 10 já seja um grande passo para a adaptar o uso para híbridos, a nova versão viria com melhoria de performance.

Neste caso, o Windows 10X rodaria aplicações em “containers”. Ou seja, utilizaria técnicas de virtualização para rodar boa parte dos aplicativos pela internet, na nuvem, do que utilizar o próprio hardware para a tarefa.

Surface Pro com chip ARM vazado. (Fonte: TechRadar/Reprodução)

Por não podermos afirmar se as informações são reais, não podemos imaginar qual a utilidade do dispositivo quando offline, tampouco quais aplicativos seriam executados pelo hardware e o impacto dessa transformação.

O anúncio oficial desses dispositivos e do sistema deve acontecer hoje no evento da Microsoft. As novidades devem começar a vir depois das 11h. Portanto, fique ligado no TecMundo para ficar sabendo de tudo!

Fontes: TechRadar e The Verge

Google diz ter atingido a supremacia quântica

Processador quântico desenvolvido pela empresa teria resolvido, em três minutos e 20 segundos, um problema que um computador tradicional levaria 10 mil anos para resolver

Rafael Rigues 24/09/2019 09h54 (Olhar Digital)

De acordo com um artigo publicado no jornal Financial Times, engenheiros do Google atingiram a chamada “supremacia quântica”, momento em que é provado que um computador quântico consegue resolver problemas que um computador “clássico”, como os sistemas atuais, é incapaz de resolver.

A informação veio de um artigo assinado por engenheiros do Google que foi postado em um site da Nasa na semana passada e rapidamente removido, mas não antes que o Financial Times conseguisse uma cópia.

De acordo com o texto, um processador quântico batizado de “Sycamore” conseguiu, em três minutos e 20 segundos, provar que um gerador de números aleatórios era realmente aleatório. Uma tarefa que mesmo o supercomputador mais poderoso da atualidade, chamado Summit, levaria 10 mil anos para resolver.

Segundo os autores,

“esta aceleração dramática em relação a todos os algoritmos clássicos conhecidos provê uma realização experimental da supremacia quântica em uma tarefa computacional, e marca o advento de um paradigma de computação a muito antecipado [...] Em nosso conhecimento, este experimento marca a primeira tarefa de computação que só pode ser realizada em um processador quântico”.

Em um computador tradicional, um “bit” pode representar apenas um estado de informação por vez, “zero” ou “um”. Mas um bit quântico, ou qubit, pode representar ambos ao mesmo tempo. Combinando qubits a quantidade de informação que pode ser representada cresce exponencialmente.

Em teoria um sistema quântico poderia, por exemplo, quebrar a mais avançada forma de criptografia existente em questão de segundos, simplesmente testando todas as combinações possíveis de uma vez só, uma tarefa que normalmente levaria milhões de anos. Tal poder de cálculo poderia revolucionar áreas como a engenharia de materiais, química e inteligência artificial.

O Sycamore foi originalmente projetado com 72 qubits, mas devido a instabilidade e dificuldade em controlar os elementos, foi eventualmente redesenhado para operar com 53 qubits, o que o torna um dos computadores quânticos mais poderosos no planeta. Nesta semana a IBM também anunciou um sistema quântico com 53 qubits.

Embora os resultados obtidos pelo Google possam representar um marco na ciência da computação, críticos afirmam que a alegação de “supremacia quântica” é exagerada. Isso porque a máquina do Google foi configurada para resolver um problema altamente específico, e não é capaz de executar tarefas generalizadas, como um computador comum.

Em declaração ao Financial Times Dario Gil, chefe de pesquisas da IBM, disse que a afirmação do Google é “indefensável” e “simplesmente errada”. O feito, embora tenha seus méritos, seria

“apenas um experimento de laboratório para implementar essencialmente - e quase certamente exclusivamente - procedimento de amostragem quântico muito específico, e sem aplicações práticas”.

Ainda não se sabe porque o artigo do Google foi removido do site da Nasa. Procurada pelo Financial Times, a empresa não comentou o assunto.

Fonte: Financial Times

Pagamento de Onibus com Celular

Ônibus de SP aceitarão pagamento via NFC com cartão ou celular

Ônibus de São Paulo terão pagamento de passagem por aproximação com cartões contactless, Apple Pay, Google Pay e Samsung Pay

Por Lucas Braga | 11/09/2019 às 17h01 (Tecnoblog)

Pagamento de Onibus com Celular

Usuários de ônibus na cidade de São Paulo contam com uma novidade a partir de setembro deste ano (2019): já é possível encontrar veículos onde é possível pagar a passagem diretamente no cartão de crédito e débito. O serviço está disponível para pagamento por aproximação, que usa a tecnologia NFC para realizar transações. Ele é compatível com Apple Pay, Google Pay e Samsung Pay.

O leitor João Fouyer flagrou uma máquina apta para a nova tecnologia na linha 9300-10 – Terminal Parque Dom Pedro II na tarde de hoje. A máquina era da Prodata e já havia indicações de pagamento com cartões Mastercard e Visa. O tradicional bilhete único continua sendo aceito.

Para pagar por aproximação, é necessário ter um cartão contactless (como o do Nubank, por exemplo) ou outro dispositivo como pulseiras e adesivos. Também é possível fazer o pagamento pelo smartphone ou smartwatch através de carteiras digitais como Apple Pay, Google Pay e Samsung Pay.

De acordo com o InfoMoney, a Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo deverá anunciar a novidade oficialmente na quinta-feira (12) em forma de um projeto piloto que durará três meses e abrangerá 200 ônibus. O site também informa que a implementação nos validadores será feita em algumas linhas pela Cielo e outras pela Stone, e que a parte de bilhetagem será feita com a Empresa 1 e Digicom, além da Prodata.

Rio de Janeiro permite pagar metrô com cartão de crédito

Desde abril, já é possível passar nas catracas do metrô do Rio de Janeiro com pagamento por aproximação. Todas as 41 estações do MetrôRio (linhas 1, 2 e 4) estão equipadas com validadores compatíveis com a tecnologia. No entanto, o pagamento só está disponível para cartões Visa na modalidade crédito, deixando de fora usuários de débito e demais bandeiras concorrentes.

CPU Windows 10

Como corrigir o problema do alto consumo de CPU do Windows 10

Atualização para o Windows 10 aumentou o consumo de CPU deixando os computadores lentos. Veja como corrigir este problema!

CPU Windows 10

A Microsoft atualiza de forma constante o Windows 10 para evitar que ele tenha brechas de segurança, além de adicionar novos recursos ao sistema. Por sua vez, as últimas atualizações para o sistema acabaram trazendo alguns problemas de performance e até mesmo bugs um pouco mais críticos.

Nesta semana, por exemplo, a atualização cumulativa do Windows 10 acabou afetando a performance de muitos de seus usuários, que começaram a ter gargalos na CPU, deixando os seus PCs lentos. A seguir, veja como resolver este problema de performance da última atualização do Windows 10.

Importante

Até o momento da publicação desta matéria, a Microsoft ainda não soltou uma atualização para a correção do problema. Desta forma, o processo demonstrado abaixo não é oficial, sendo recomendado fazer um backup de seus dados ou a criação de um ponto de restauração antes de segui-lo.

Como corrigir o problema de performance da última atualização do Windows 10

O problema de performance que ocorre devido a esta última atualização do Windows 10 se deve a um processo chamado “SearchUI.exe”, que é relacionado a Cortana e aos resultados do Bing no menu Iniciar. Assim, caso você não utilize estes recursos, basta seguir estes passos para desativá-los e diminuir o consumo de sua CPU. Veja:

  1. Aperte junto as teclas “Win + R” para abrir a janela do “Executar” e entre com este comando: regedit;

    Reprodução

  2. Pela coluna da esquerda, acesse este caminho: Computador\HKEY_CURRENT_USER\Software\Microsoft\Windows\CurrentVersion\Search;

    Reprodução

  3. Agora, no lado direito, procure pela entrada “BingSearchEnabled” e dê um clique duplo nela;

    Reprodução

  4. Mude o seu valor para “1” e clique em “Ok”;

    Reprodução

  5. Reinicie o computador.

Após reiniciar o seu computador, a alteração que foi feita no registro do Windows tirará a busca do Bing do menu Iniciar e, caso este esteja sendo o seu problema por conta da atualização, o consumo de CPU deverá ser normalizado. Apesar disto, é preciso lembrar que uma futura atualização do Windows pode alterar este registro e fazer o problema retornar.

Caso esteja querendo habilitar novamente a busca do Bing no menu Iniciar, basta seguir novamente as etapas do tutorial deixando o “BingSearchEnabled” com o valor “0”.

Reprodução

Pronto! Agora, você já sabe como evitar o alto consumo de CPU, que foi causado pela última atualização do Windows 10.

Fonte: Olhar Digital

Google Drive agora permite preenchimento de PDFs

Graças a uma atualização para Android e iOS, agora é possível preencher PDFs simples pelo Google Drive.

22/08/2019 às 21:00 | 1 min de leitura (Fonte: TecMundo)

A novidade, disponível para todas as edições do G Suite, será ativada por padrão.

Será possível escrever nos campos de texto, selecionar opções em um menu suspenso ou marcar itens via caixas de seleção. Para completar um formulário, basta tocar no ícone do lápis na visualização do PDF no menu suspenso ou diretamente no campo a ser preenchido. Quando terminar, salve a edição ou uma cópia do documento.

Drive

Segundo o Google, esse recurso torna mais rápido e fácil o preenchimento de faturas comerciais, registros de eventos, formulários de impostos e outros tipos de documentos simples, eliminando a necessidade de imprimir e, depois de escrever nos campos, escanear as folhas.

O recurso, porém, não vai estar disponível para o preenchimento de formulários XFA e nem oferece suporte para assinaturas eletrônicas.

Claro Indeniza Cliente

Claro deve indenizar cliente em R$ 20 mil por roubo de linha e WhatsApp

Em menos de uma semana, cliente teve linha da Claro invadida duas vezes e perdeu acesso à conta do WhatsApp

Por Lucas Braga | 06/08/2019 às 14h50 (Fonte: Tecnoblog)

Claro Indeniza Cliente

 

A Claro foi condenada pela Justiça a indenizar em R$ 20 mil uma cliente cujo WhatsApp foi “clonado”; ela sofreu roubo de linha celular duas vezes. As fraudes com aplicativos de mensagens estão cada vez mais comuns: normalmente, criminosos se aproveitam de sistemas de lojas de operadora para ativar linhas de outros clientes em um novo chip, que recebe o código de ativação.

A autora do processo foi vítima do golpe de SIM swap (“clonagem”) duas vezes. Em setembro de 2018, ela teve o WhatsApp invadido e um criminoso pediu dinheiro emprestado para os contatos.

A cliente adquiriu um novo chip e recuperou a linha, mas não a conta do WhatsApp — o invasor aparentemente colocou senha ao ativar a verificação de duas etapas. Então, a cliente foi orientada pela Claro a cancelar a linha e adquirir um novo número.

No entanto, uma semana depois seu celular parou de funcionar com o novo número, e sofreu o golpe de SIM swap de novo. Pior: a linha anterior ainda não havia sido cancelada. O acórdão não indica se a conta do WhatsApp na segunda linha foi invadida.

O processo acusa a operadora de falha na prestação do serviço, com recorrência no problema. A autora também menciona que não foi bem atendida pela Claro. Inicialmente, o tribunal havia condenado a Claro a pagar R$ 5 mil como indenização por danos morais, mas a cliente recorreu e a Justiça fixou o valor de R$ 20 mil, considerando os princípios da razoabilidade e proporcionalidade.

Ative a autenticação de dois fatores no WhatsApp

No processo, consta que os contatos da autora seguiram recebendo mensagens do número antigo durante uma semana, inclusive pedindo dinheiro. A cliente até adquiriu um chip para recuperar essa linha; ainda assim, ela não conseguiu acessar a conta do WhatsApp. É bem provável que o criminoso tenha ativado a verificação de dois fatores, impedindo a ativação do aplicativo sem a senha cadastrada.

Portanto, se você não possui a autenticação em dois passos ativada no WhatsApp, é importante configurá-la. O mesmo vale para o Telegram e outros aplicativos de mensagens. Com essa proteção adicional, mesmo que um criminoso consiga roubar sua linha, fica impossível acessar o app sem saber a senha.

O golpe de SIM swap já causou prejuízos de até R$ 80 mil no país. Ele é informalmente chamado de “clonagem” em referência às antigas linhas CDMA, que podiam ser roubadas e usadas em dois celulares ao mesmo tempo. Isso não ocorre no GSM mas, nessa tecnologia, uma linha pode ser transferida para outro chip sem autorização do cliente.

Com informações: Consultor Jurídico.

Modo escuro do WhatsApp pode chegar em setembro para iPhones

Uma das novidades mais esperadas para o WhatsApp neste ano é o modo escuro e de acordo com o site WABetaInfo esta funcionalidade já tem data para chegar.

Ele deve vir junto com o iOS 13 nos iPhones, ou seja, os usuários da Apple poderão ter acesso já em setembro.

Rumores apontam para a chegada da funcionalidade no Android junto com o Android Q, que deve estar disponível até o fim do ano — mas a atualização pode demorar mais do que isso para estar disponível no OS da Google.

O modo escuro no WhatsApp deve funcionar como nos outros apps: mudando a cor de fundo para preto e das fontes para branco. De acordo com uma revelação recente do WABetaInfo, todas as telas do aplicativo de mensagens poderão ser configuradas no modo escuro, e não apenas as conversas.

whatsapp
(Fonte: WABetaInfo/Reprodução)

Quando a versão beta do aplicativo estiver liberada, os usuários de iPhone poderão testar esta funcionalidade ativando o Switch do telefone. Ainda não temos previsão para isso acontecer.

Fonte: Fayerwayer

Tecnologia Emprego

Tecnologia pode decidir se você mantém ou não seu emprego

O uso de sistemas monitoramento de funcionários tem se expandido em vários mercados. Como as empresas têm usado essa ferramenta?

Tecnologia Emprego

O mundo está mais competitivo a cada dia. Ser um profissional produtivo é uma exigência nos mais diferentes segmentos. A tecnologia tem sido um auxiliar importante nesse processo, mas, em alguns casos, seu uso pode ser polêmico. É o caso, por exemplo, do uso de sistemas de monitoramento dos empregados.

Para compreender como essas mudanças afetam os recursos humanos das organizações, o Olhar Digital conversou com empresas que adotam esse tipo de ferramenta. Além disso, consultamos psicólogos para entender como o uso dessas tecnologias pode afetar os profissionais e advogados para saber como isso é interpretado pela lei trabalhista.

Entre as descobertas estão o fato de que algumas companhias usam sistemas que rastreiam os profissionais continuamente. A partir dos dados coletados, essas ferramentas são capazes de informar qual a produtividade do trabalhador e, em alguns casos, tudo o que ele faz enquanto está conectado ao sistema da empresa. E isso pode causar inúmeros efeitos nos colaboradores.

Em geral, a base dessas ferramentas é a inteligência artificial. É ela quem garante que a organização tenha acesso a todo o perfil laboral do profissional — muitas vezes desde o primeiro contato entre eles, ou seja, antes mesmo de ele se tornar um colaborador.

Com a tecnologia cada vez mais desenvolvida, as possibilidades de uso são as mais diversas: para o bem e para o mal. “Aqui, temos uma solução para acompanhar o progresso dos projetos”, diz Fellipe Guimarães, CEO da Codeby. “Isso nos ajuda a saber em que é possível melhorar, tanto a forma como o trabalho é desenvolvido quanto a produtividade dos especialistas.

Segundo Guimarães, a Codeby usa a ferramenta apenas para detectar dificuldades. “Quando um profissional apresenta alterações de produtividade, por exemplo, procuramos identificar quais fatores levaram a isso”, explica. Afinal, só o fato de saber que é monitorado pode causar alterações psicológicas que afetam a forma como o colaborador lida com a situação.

Reprodução

Fellipe Guimarães, CEO da Codeby, acredita que a tecnologia ajuda a melhorar os processos de trabalho e a produtividade da equipe

Um dos casos mais extremos foi relatado por empregados da Amazon nos EUA: vários deles alegam que o sistema de monitoramento da empresa é tão automatizado que cartas de demissão são preparadas sem a interferência de seres humanos. Isso leva os funcionários a encararem semanas de trabalho de até 60 horas e a evitarem ir ao banheiro para não serem penalizados pela ferramenta

Segundo a empresa, entretanto, isso não corresponde à realidade. “É infundada a ideia de que funcionários sejam desligados por meio de um sistema automático”, diz um comunicado oficial da companhia. “(...) temos expectativas de desempenho dos funcionários, mas (...), antes que qualquer decisão seja tomada, apoiamos quem não atende aos níveis esperados com direcionamento e treinamento.”

Reprodução

Toque humano é essencial

Outra companhia que usa esse tipo de solução tecnológica aqui no Brasil é a agência de marketing promocional Close to Consumer (C2C). O sistema da empresa mede a produtividade da equipe — especialmente dos profissionais que estão em campo. “Para trabalhar, o funcionário recebe um smartphone com o app instalado. Todas as atividades são registradas nele: check-in no local (e o GPS do celular atesta a informação), coleta de dados e outros”, diz Diogo Rodrigues, responsável pelo planejamento estratégico e projetos da C2C.

Depois, essas informações são analisadas por uma equipe de business intelligence (BI). “Eles, então, produzem um relatório que permite avaliar se os participantes do projeto atingem o que é esperado deles.” E se eles não estiverem em conformidade com as metas determinadas? “São apurados os motivos que levaram a isso. Podem ser fatores externos, por exemplo. Por isso, é fundamental que haja uma equipe de seres humanos para avaliar esses aspectos.”

No sistema da empresa, quando um profissional não faz uma atividade, essa falta fica aparente. “A partir disso, é possível fazer o desconto pertinente, mas antes analisamos o contexto que levou a essa situação.”

Rodrigues conta que, em alguns casos, há resistência dos profissionais. “Isso é mais comum quando a ferramenta passa a ser usada depois do início do projeto. Mesmo após receberem treinamento, alguns colaboradores ainda se mostram pouco confortáveis por acharem que não confiamos no trabalho deles”, conta. “Então, explicamos que se trata de um sistema que pode, na verdade, ajudá-los a se sobressair se tiverem bom desempenho.”

Segundo ele, já houve até o caso de uma funcionária que foi transferida para outro departamento. “Ela realmente não se adaptou à tecnologia, mas avaliamos que se tratava de uma profissional que poderia se dar bem em outra área. Essa colaboradora está com a gente até hoje”, lembra. Por outro lado, ele diz que é comum que seja identificada a falta de comprometimento de alguns trabalhadores. “Os dados obtidos são, então, usados para embasar as dispensas dessas pessoas.”

Um dos motivos para o uso da tecnologia pela C2C foi a transição para um modelo mais tecnológico. Isso fez a equipe da empresa diminuir e o perfil dos profissionais mudar. “Antes, o empregado que fica em campo tinha de ligar para a empresa para fazer seu check-in quando chegava ao local de trabalho. Havia, então, uma equipe que recebia essas ligações. Hoje, as informações vêm pela ferramenta e o especialista que as analisa precisa ter habilidades diferentes daquelas que eram exigidas de quem atendia o telefone.”

Para Rodrigues, esse toque humano é essencial. “A solução não faz tudo sozinha, por mais avançada que ela seja”, acredita. “Pode ser que, no futuro, a identificação de fatores externos se torne mais aprimorada e requeira menos intervenção humana. Mesmo assim, acredito que sempre será necessário um olhar humano no momento da tomada de decisão: a sensibilidade do analista é o que vai evitar que haja decisões erradas.”

Fonte: Olhar Digital

↓
×

Hello!

Click one of our representatives below to chat on WhatsApp or send us an email to hello@quadlayers.com

× Como posso te ajudar?