Códigos Secretos da Netflix: veja como destravar o acervo completo da plataforma

O que fazer após “zerar” o catálogo da Netflix?

Por Flávio Pinto, Editado por Wharrysson Lacerda, 30/04/2021 16h29, atualizada em 01/05/2021 18h34 (OlharDigital)

Impossível ou não, a tarefa é facilmente visualizável, já que de tanto navegar pela plataforma, às vezes, ficamos com aquela sensação de “déjà-vu”. Cansado de ver sempre os mesmos pôsteres e títulos na sua tela? Então confira como acessar todo o acervo do streaming por meio dos códigos secretos da Netflix.

Por conta da imensa procura por informações de como obter acesso completo a todos os filmes do catálogo da plataforma, a própria empresa resolveu liberar alguns códigos que ajudam a conduzir usuários até seus títulos por gênero, facilitando a navegação.

Aprenda a utilizar os códigos secretos da Netflix

Se ter o acesso ao catálogo completo da plataforma de streaming mais famosa do mundo é algo do seu interesse, o Olhar Digital vai mostrar como você pode destravá-lo. Basta entrar no site da Netflix e completar o link a seguir: www.netflix.com/browse/genre/.

barra de espaço no site da netflix
Insira o código do gênero da sua preferência após a barra seguida de “genre”. Créditos: Reprodução/Netflix

Depois, adicione o número da categoria desejada e pronto.

Por exemplo, se você quiser ver um filme de comédia, basta digitar o código 6548. É a mesma coisa para qualquer uma das categorias disponíveis no acervo da Netflix.

Confira os códigos secretos da Netflix:

Ação e aventura – 1365

Subcategorias:

  • Ação de Crimes e Aventura – 9584
  • Ação de Espionagem e Aventura – 10702
  • Ação Estrangeiro e Aventuras – 11828
  • Ação Militar e Aventura – 2125
  • Artes Marciais – 8985
  • Aventuras – 7442
  • Clássicos de Ação e Aventura – 46576
  • Comédias de Ação – 43040
  • Filmes de Ação Asiáticos – 77232
  • Quadrinhos e Super-heróis – 10118
  • Thrillers de Ação – 43048
  • Westerns – 7700

Anime – 7424

Subcategorias:

  • Animação Adulto – 11881
  • Anime de Ação – 2653
  • Anime de Comédia – 9302
  • Anime de Drama – 452
  • Anime Features – 3063
  • Anime Sci-Fi – 2729
  • Anime de Horror – 10695
  • Anime de Fantasia – 11146
  • Anime Séries (6721)

Filmes para toda a família – 783

Subcategorias:

  • Contos de animais – 5507
  • Desenhos de TV – 11177
  • Disney – 67673
  • Educação para crianças – 10659
  • Features familiares – 51056
  • Filmes baseados em livros infantis – 10056
  • Filmes para idades entre 0 e 2 anos – 6796
  • Filmes para idades entre 2 e 4 anos – 6218
  • Filmes para idades entre 5 e 7 anos – 5455
  • Filmes para idades entre 8 e 10 anos – 561
  • Filmes para idades entre 11 e 12 anos – 6962
  • Música para crianças – 52843
  • TV para crianças – 27346

Filmes Clássicos – 31574

Subcategorias:

  • Comédias Clássicas – 31694
  • Dramas Clássicos – 29809
  • Épicos 52858
  • Filmes Noir – 7687
  • Filmes de Guerra Clássicos – 48744
  • Filmes Estrangeiros Clássicos – 32473
  • Filmes Mudos 53310
  • Sci-Fi & Fantasia Clássicos- 47147
  • Thrillers Clássicos – 46588
  • Westerns Clássicos – 47465

Comédias – 6548

Subcategorias:

  • Comédias de Humor Negro – 869
  • Comédias Estrangeiras – 4426
  • Comédias de fim de Noite – 1402
  • Mockumentaries (Documentários de humor) – 26
  • Comédias políticas – 2700
  • Screwball Comedies (Comédias malucas) – 9702
  • Comédia de Esportes – 5286
  • Comédia Stand-up – 11559
  • Comédias adolescentes – 3519
  • Sátiras – 4922
  • Comédias românticas – 5475
  • Comédias pastelão – 10256

Filmes Cult – 7627

Subcategorias:

  • Filmes de Terror B – 8195
  • Filmes de Acampamento – 1252
  • Filmes de Terror Cult – 10944
  • Filmes de Terror Cult Sci-Fi & Fantasia – 4734
  • Comédias Cult – 9434

Documentários – 6839

Subcategorias:

  • Documentários Biográficos – 3652
  • Documentários de Crimes – 9875
  • Documentários Estrangeiros – 5161
  • Documentários Históricos – 5349
  • Documentários Militares – 4006
  • Documentários de Esportes – 180
  • Documentários de Músicas e Concertos – 90361
  • Documentários de Viagens & Aventuras – 1159
  • Documentários de Política – 7018
  • Documentários Religiosos – 10005
  • Documentários de Ciência & Natureza – 2595
  • Documentários Sociais e Culturais – 3675

Dramas – 5763

Subcategorias:

  • Dramas Biográficos- 3179
  • Dramas Clássicos – 29809
  • Dramas de Tribunais – 528582748
  • Dramas de Crimes – 6889
  • Dramas baseados em Livros – 4961
  • Dramas baseados na Vida Real – 3653
  • Dramalhões – 6384
  • Dramas Estrangeiros – 2150
  • Dramas de Esportes – 7243
  • Dramas Gays & Lésbicas – 500
  • Dramas Independentes – 384
  • Dramas Adolescentes – 9299
  • Dramas Militares – 11
  • Dramas de Época – 12123
  • Dramas Políticos – 6616
  • Dramas Românticos – 1255
  • Dramas Showbiz – 5012
  • Dramas de Assuntos Sociais – 3947

Fé & Espiritualidade – 26835

Subcategorias:

  • Filmes de Fé & Espiritualidade – 52804
  • Documentários de Fé & Espiritualidade – 2760
  • Infantis de Fé & Espiritualidade – 751423

Filmes Estrangeiros – 7462

Subcategorias:

  • Filmes Estrangeiros de Artes e Casas – 29764
  • Filmes Estrangeiros de Ação & Aventura – 11828
  • Filmes Estrangeiros Clássicos – 32473
  • Comédias Estrangeiras – 4426
  • Documentários Estrangeiros – 5161
  • Dramas Estrangeiros – 2150
  • Filmes Estrangeiros Gays & Lésbicas – 8243
  • Filmes Estrangeiros de Terror – 8654
  • Filmes Estrangeiros de Sci-Fi & Fantasia – 6485
  • Thrillers Estrangeiros – 10306
  • Filmes Estrangeiros Românticos – 7153
  • Filmes Africanos – 3761
  • Filmes Australianos – 5230
  • Filmes Belgas – 262
  • Filmes Coreanos – 5685
  • Filmes Latino-Americanos – 1613
  • Filmes do Oriente Médio – 5875
  • Filmes Neozelandeses – 63782
  • Filmes Russos – 11567
  • Filmes Escandinavos – 9292
  • Filmes do Sudeste Asiático – 9196
  • Filmes Espanhóis – 58741
  • Filmes Gregos – 61115
  • Filmes Alemães – 58886
  • Filmes Franceses – 58807
  • Filmes do Leste-Europeu- 5254
  • Filmes Holandeses – 10606
  • Filmes Irlandeses – 58750
  • Filmes Japoneses – 10398
  • Filmes Italianos – 8221
  • Filmes Indianos – 10463
  • Filmes Chineses – 3960
  • Filmes Britânicos – 10757

LGBT – 5977

Subcategorias:

  • Comédias Gays & Lésbicas – 7120
  • Dramas Gays & Lésbicas – 500
  • Romances Gays & Lésbicas – 3329
  • Filmes Estrangeiros Gays & Lésbicas – 8243
  • Documentários Gays & Lésbicas – 4720
  • Programas de TV Gays & Lésbicas – 65263

Filmes de Terror – 8711

Subcategorias:

  • Terror B – 8195
  • Terror de Criaturas – 6895
  • Terror Cult – 10944
  • Terror de Mares Profundos – 45028
  • Terror Estrangeiro – 8654
  • Comédia de Terror – 89585
  • Filmes de Monstros – 947
  • Filmes Slasher & Serial Killer – 8646
  • Terror Sobrenatural – 42023
  • Teen Screams (Gritos de Adolescentes) – 52147
  • Terror de Vampiros – 75804
  • Terror de Lobisomem – 75930
  • Terror de Zumbis – 75405
  • Histórias Satânicas – 6998

Filmes Independentes – 7077

Subcategorias:

  • Filmes Experimentais – 11079
  • Independentes de Ação e Aventura – 11804
  • Thrillers Independentes – 3269
  • Independentes Românticos – 9916
  • Comédias Independentes – 4195
  • Dramas Independentes – 384

Música – 1701

Subcategorias:

  • Músicas Infantis – 52843
  • Músicas Country & Western/Folk (Cultura Estrangeira) – 1105
  • Jazz & “Easy Listening” – 10271
  • Músicas Latinas – 10741
  • Concertos Urbanos & Dança – 9472
  • Concertos Musicais Mundiais – 2856
  • Concertos Rock & Pop – 3278

Musicais – 13335

Subcategorias:

  • Musicais Clássicos – 32392
  • Musicais da Disney – 59433
  • Musicais Showbiz – 13573
  • Musicais de Palcos – 55774

Romances – 8883

Subcategorias:

  • Romances Favoritos – 502675
  • Romances Peculiares ou Curiosos – 36103
  • Romances Independentes – 9916
  • Romances Estrangeiros – 7153
  • Romances Dramáticos – 1255
  • Romances Eróticos e Sensuais – 35800
  • Filmes Românticos Clássicos – 31273
  • Comédias Românticas – 5475

Sci-Fi & Fantasia – 1492

Subcategorias:

  • Sci-Fi & Fantasia de Ação – 1568
  • Sci-Fi & Fantasia Alien – 3327
  • Sci-Fi & Fantasia Clássicos – 47147
  • Sci-Fi & Fantasia Cult – 4734
  • Filmes de Fantasia – 9744
  • Sci-Fi de Aventura – 6926
  • Sci-Fi de Drama – 3916
  • Sci-Fi de Terror – 1694
  • Thrillers Sci-Fi – 11014
  • Sci-Fi & Fantasia Estrangeiros – 6485

Filmes de Esportes – 4370

Subcategorias:

  • Comédia de Esportes – 5286
  • Documentários de Esportes – 180
  • Dramas de Esportes – 7243
  • Filmes de Baseball – 12339
  • Filmes de Futebol Americano – 12803
  • Filmes de Boxe – 12443
  • Filmes de Futebol – 12549
  • Filmes de Artes-Marciais e Lutas – 6695
  • Filmes de Basquete – 12762
  • Esportes & Fitness – 9327

Suspense – 8933

Subcategorias:

  • Suspense de Ação – 43048
  • Suspense Clássicos – 46588
  • Suspense de Crimes – 10499
  • Suspense Estrangeiros – 10306
  • Suspense Independentes – 3269
  • Filmes de Gangsteres – 31851
  • Suspense Psicológicos – 5505
  • Suspense Políticos – 10504
  • Suspense de Mistérios – 9994
  • Suspense Sci-Fi – 11014
  • Suspense de Espiões – 9145
  • Suspense Eróticos e Sensuais – 972
  • Suspense Sobrenaturais – 11140

Programas de TV – 83

Subcategorias:

  • Programas de TV Britânicos – 52117
  • Programas de TV Clássicos – 46553
  • Programas de TV de Crimes – 26146
  • Programas de TV Cult – 74652
  • Programas de TV de Gastronomia e Viagens – 72436
  • Programas de TV de Crianças – 27346
  • Programas de TV Coreanos – 67879
  • Minisséries – 4814
  • Programas de TV Militares – 25804
  • Programas de TV de Ciência e Natureza – 52780
  • Programas de TV de Ação e Aventura – 10673
  • Comedias de TV – 10375
  • Documentários de TV – 10105
  • Dramas de TV – 11714
  • Programas de TV de Terror – 83059
  • Programas de TV de Mistérios – 4366
  • Programas de TV de Sci-Fi & Fantasia – 1372
  • Reality Shows de TV – 9833
  • Programas de TV de Adolescentes – 60951

E aí, qual será a primeira categoria que você vai explorar?

Via: The Guardian

Drones formam QR Code gigante para baixar jogo na China

Imagem de: Drones formam QR Code gigante para baixar jogo na China
Imagem: YouTube

Tem se tornado comum ver drones sendo utilizados para as mais diversas ações.

Em muitos casos eles acabam sendo úteis em entregas, mas uma empresa chinesa chamada Bilibili decidiu recorrer a essa tecnologia para criar um show diferente em comemoração ao lançamento do game Princess Connect Re: Dive.

Para realizar essa ação, a companhia conhecida por seus trabalhos com animes e mangás decidiu utilizar 1.500 drones para formar um código QR gigante na cidade de Xangai. Enquanto eles estavam suspensos no ar, os pedestres podiam mirar seus celulares na imagem formada para baixar o game.

Antes da imagem se formar, os drones fizeram algumas coreografias que remetem ao game no ar, presenteando aqueles que estavam na rua um show noturno um tanto quanto diferente, como você pode conferir no vídeo que está na sequência:

Vale mencionar que, além de poder baixar o jogo, quem apontou o celular para as aeronaves não tripuladas também teve a chance de obter mais informações relacionadas ao título, que é um RPG lançado na Ásia no ano passado e no restante do mundo em 2021.

Curiosamente, a Bilibili já havia feito algo parecido no lançamento de Princess Connect Re: Dive (mas sem o uso de drones): na entrada do prédio em que a companhia está instalada, um código QR foi deixado sem nenhum tipo de pista ou indicação do que ele fazia, e quem o escaneava era enviado diretamente para a página de download do game.

E aí, o que achou dessa ação? Deixe a sua opinião no espaço mais abaixo destinado aos comentários.

Fonte: Tecmundo

6 motivos para entender que a inovação tecnológica não é coisa do futuro

A inovação tecnológica nas empresas já não é uma tendência, mas, sim, um mecanismo de sobrevivência, diante da acirrada competitividade no mercado.

Que a inovação tecnológica vem revolucionando a forma das empresas fazerem negócios não é novidade. Mas a rapidez com que esses recursos estão evoluindo, e o quanto exponenciam resultados, talvez ainda não seja de amplo conhecimento.

É difícil imaginar a dinâmica de empreendimentos, de todos os portes, não ser afetada por essa modernização. E, por isso, fica a reflexão: qual a relação do seu negócio com as tecnologias? O assunto recebe cada dia mais destaque no mundo dos negócios, e empresas de todos os tipos e tamanhos têm investido pesado nessa estratégia.

Separei algumas dicas com novidades e os seis principais motivos para que as pequenas e médias empresas precisam aportar na tecnologia.

1. Agilidade nos processos

Os avanços tecnológicos modificaram bastante a forma de atuação das empresas. No cenário atual, boa parte das atividades são realizadas pelas máquinas, sobretudo aquelas repetitivas. Hoje, esses equipamentos vêm adquirindo inclusive a capacidade de raciocinar.

O uso de softwares modernos simplifica e agrega velocidade em todos os setores — o que levaria horas ou dias para se executar manualmente, essas ferramentas conseguem resolver em poucos minutos. E isso é benéfico tanto para grandes empreendimentos quanto os de pequeno e médio porte.

2. Redução dos custos

A implementação de tecnologias não é um processo simples, e depende de um investimento inicial que pode ser considerado caro por muitos empreendedores. No entanto, se analisarmos os resultados a longo prazo, a redução dos custos operacionais são bem evidentes e demonstram a eficiência da estratégia.

Ao automatizar tarefas, o gestor tem maior controle dos dados que são gerados na rotina empresarial e, consequentemente, uma melhor percepção daquilo que funciona bem, dos pontos fracos que necessitam de aprimoramento.

Dessa forma, ele consegue identificar gargalos com mais facilidade e distribuir corretamente os recursos. Além disso, o auxílio da tecnologia reduz significativamente os prejuízos causados por erros, pois eles passam a acontecer com menos frequência, e isso evita o retrabalho e desperdício de recursos.

Ademais, a automatização contribui para o melhor aproveitamento das equipes, que são liberadas dos trabalhos repetitivos e passam a desempenhar papéis estratégicos na organização.

3. Melhoria no controle de qualidade

O investimento em um bom software aumenta a capacidade de registro, organização e gerenciamento de dados sobre tudo o que se passa na empresa, inclusive dos históricos de relacionamentos com os seus clientes.

Com esse domínio, o controle sobre todas as operações e também sobre a qualidade dos seus produtos ou serviços é muito mais efetivo. Além de tornar os procedimentos mais ágeis, o uso de ferramentas modernas auxilia na manutenção de um padrão sempre elevado.

4. Atração e fidelização de clientes

Outro aspecto positivo da implementação de novas tecnologias é a otimização do relacionamento com os clientes. Em primeiro lugar, graças aos recursos das mídias sociais, as empresas conseguem estabelecer uma interação mais próxima com o público, o que representa uma excelente estratégia para gerar engajamento.

Para as etapas de atendimento, a Inteligência Artificial aprimora cada vez mais o tempo e a qualidade nas respostas aos consumidores, os chatbots.

A medida em que as tecnologias se tornam parte do funcionamento das empresas, inclusive as de pequeno e médio porte, o que se obtém é o aumento da sua capacidade de personalização, e não restam dúvidas de que clientes satisfeitos estão mais propensos à fidelização.

5. Engajamento e motivação dos colaboradores

A gestão de talentos é sempre um grande desafio para os empreendedores. Se você não oferece um ambiente de trabalho agradável, com as ferramentas necessárias para que os funcionários rendam mais, e uma gestão que os faça sentir valorizados, dificilmente vá conseguir manter a motivação do time.

Lembre-se de que profissionais engajados com a cultura da empresa e com os valores que ela gera no mercado são mais produtivos. E o uso das tecnologias é importante para se atingir esse objetivo — eles ficam, por exemplo, menos presos aos trabalhos repetitivos e sentem-se mais úteis.

6. Melhoria na comunicação

Uma das questões que colocam em xeque o desempenho de qualquer empreendimento é a falha na comunicação. Isso pode trazer desde problemas de desempenho até erros mais graves, que comprometam a imagem da marca.

Se funcionários e gestores não “falam a mesma língua”, se há ruídos na troca de mensagens, fica bem difícil manter um alinhamento de ideias, para fazer com que cada envolvido entenda o seu papel para o alcance das metas.

Por essa razão, é fundamental investir na comunicação interna do ambiente de trabalho. Hoje, há uma infinidade de recursos que facilitam os diálogos do dia a dia. Dentre eles, podemos destacar os softwares de gestão, que reúnem informações de todos os setores em uma única plataforma e ainda permitem o acesso remoto pelos envolvidos.

Nesse contexto, os sistemas de telefonia IP possibilitam o recebimento de chamadas do telefone comercial mesmo que o funcionário esteja fora da empresa. Além disso, temos os aplicativos de troca de mensagens e as ferramentas de telecomunicações em geral.

Implementar tecnologias para melhorar a comunicação interna garante à organização rapidez para solucionar suas demandas diárias e, assim, evitar dores de cabeça futuras.

Quais as consequências ao não aderir a inovação tecnológica?

A não inclusão de inovações tecnológicas nos processos corporativos pode desencadear uma série de consequências negativas, que vão resultar na perda de competitividade da empresa.

Em um mercado em que todos estão buscando alternativas que tragam eficiência e, ao mesmo tempo, economia de custos sem a perda da qualidade, ficar de fora dessa tendência pode custar a sobrevivência do negócio. Separei alguns dos principais efeitos: perda financeira, falta de informações exatas dos clientes e fornecedores, perda de venda, controle de compra e estoque ineficiente.

A inovação tecnológica nas empresas já não é uma tendência, mas, sim, um mecanismo de sobrevivência, diante da acirrada competitividade no mercado. Por isso, sua incorporação à rotina do empreendimento é um assunto que deve ser dominado com urgência. Os benefícios da estratégia são muitos e é melhor não perder tempo para usufruí-los.

Georgia Roncon é especialista em Gestão Empresarial e Marketing pela FGV. É cofundadora da AGE GROUP, que atua em Turismo, Investimentos e com Educação em Inovação e Tecnologia com o ECQ Lifelong Learning, que opera tanto no Brasil e nos EUA.

Fonte: Administradores.com

Samsung lançará PC com ‘processador de celular’ e GPU da AMD

Samsung pode estar se preparando para lançar no mercado um computador com Windows 10, equipado com um processador Exynos e placa de vídeo da AMD.

Imagem: CNET

Como os Exynos se baseiam na arquitetura ARM, e já estão presentes na linha de smartphones Galaxy S21 da sul-coreana, é possível que o novo PC da Samsung irá rodar em ARM, competindo com o Snapdragon 8cx da Qualcomm.

Divulgado pelo site ZDNet Korea na quarta-feira (24), o lançamento do novo computador da Samsung está previsto para o segundo semestre deste ano, possivelmente após o lançamento da nova geração do Galaxy Note, linha que vem perdendo espaço na constelação da Samsung, cada vez mais habitada por dobráveis.

Se o PC for mesmo lançado, a Samsung estaria entrando em um mercado largamente dominado pela Qualcomm, parceira da Microsoft desde 2018. Para consolidar sua liderança, a fabricante de chips californiana lançou, em meados do ano passado, a segunda geração do Snapdragon 8cx para notebooks Windows 10.

A mudança para o Exynos

Fonte: Pplware/Reprodução
Fonte: Pplware/Reprodução

Fonte:  Pplware 

A Samsung já havia utilizado o Windows 10 em dispositivos ARM em 2019, quando lançou na época o Galaxy Book S e o Galaxy Book 2. Porém, os dois modelos utilizavam processadores da Qualcomm, o Snapdragon 8cz.

Na mesma ocasião, a Samsung anunciou sua parceria com a AMD, com o objetivo de levar a GPU Radeon aos smartphones da marca. Pelo acordo, a fabricante dos processadores Ryzen receberia valores em taxas de licenciamento e royalties pelo uso dos seus gráficos.

Há muito que empresas como a Intel e a Qualcomm dominam o mercado, mas alguns fabricantes de equipamentos estão adotando soluções “domésticas”, como a Apple, que projetou seu próprio chip, o M1, para equipar o MacBook Air e o Pro. Ao lançar um PC com Windows 10, alimentado com um processador Exynos, a Samsung poderá ser o próximo OEM a adotar essa tendência.

Fonte: TecMundo

As 10 tendências tecnológicas que devem dominar 2021

Em um ranking enviado com exclusividade à EXAME, a consultoria de gestão global Bain & Company antecipou 10 tendências tecnológicas.

Se em 2020 a tecnologia esteve na ponta da língua das pessoas e foi o foco de muitas empresas que, durante a pandemia do novo coronavírus, buscaram se digitalizar para se tornarem mais competitivas, 2021 não deve ser diferente.

Em um ranking enviado com exclusividade à EXAME, a consultoria de gestão global Bain & Company antecipou 10 tendências tecnológicas que devem dominar o ano de 2021 – entre elas a Inteligência Artificial (AI), que já vem ganhando espaço nos últimos anos e se tornando cada vez mais importante para mercados variados.

1. Limite da Inteligência Artificial

Segundo a Bain & Company, a primeira tendência é a do Edge AI. “Considerada a próxima onda de inteligência artificial,
é uma infraestrutura de rede que possibilita que algoritmos de inteligência artificial sejam executados na extremidade de uma rede, ou seja, mais perto ou até mesmo nos dispositivos que coletam os dados”, explica a companhia em comunicado. De acordo com a consultoria, a aceleração do movimento aconteceu principalmente pelas mudanças repentinas no tráfego de rede que acompanharam os bloqueios da covid-19 e a necessidade de trabalhar em casa.

“Os benefícios desta tendência incluem a preservação da largura de banda e o aumento da eficiência ao processar as informações mais perto dos usuários e dispositivos ao invés de enviar esses dados para processamento em locais centrais na nuvem. Ao incorporar IA localmente, os fabricantes podem reduzir os problemas de latência e acelerar a geração de insights, enquanto diminuem o uso e o custo dos serviços em nuvem”, diz.

Com isso, cai também o custo da conectividade, uma vez que o processamento por parte dos dados localmente reduz a largura da banda e o uso dos dados do celular. “E como a inteligência está sendo executada localmente, as fábricas localizadas em áreas remotas com infraestrutura de comunicação deficiente estão menos sujeitas a perdas de

conectividade que podem impedir a tomada de decisões de missão crítica e urgente.”

2. 5G para quê te quero

A segunda tendência que pode vir com força neste ano é a rede 5G em fábricas. Segundo uma pesquisa da IHS Markit, o Fórum Econômico Mundial espera que a rede móvel de quinta geração alcance uma produção econômica global de 13,2 trilhões de dólares e gere 22,3 milhões de empregos até 2035.

De acordo com a Bain & Company, com a mudança, é esperado que “um grande e rápido avanço na indústria 4.0 e na internet das coisas industrial” aconteça. “Capaz de atender aos requisitos de energia de milhões de conexões para aplicativos de dados intensivos, a previsão é que o 5G impulsione a indústria de manufatura com novos e mais poderosos recursos digitais”, afirma a consultoria.

A Bain & Company explica que o 5G, até 100 vezes mais rápido que o 4G, oferece latência drasticamente reduzida, “o que torna possível compartilhar dados com extrema rapidez, eliminar atrasos de processamento e garantir que os sistemas de fábrica possam reagir em tempo real.”

Outro ponto que irá fortalecer a rede de quinta geração, é a confiabilidade da conectividade do 5G, que “garante uma conexão de rede estável e constante em qualquer lugar e a qualquer momento no chão de fábrica, garantindo a execução contínua e desimpedida de missões críticas de negócios. O 5G poderá até mesmo inaugurar uma era de comunicação entre máquinas.”

3. Crescimento no seguro

Estimativas do mercado de seguro baseado em uso (UBI) projetam que ele chegará até 126 bilhões de dólares até 2027. De acordo com a empresa de consultoria Gartner, o crescimento deve “se conectar com o desenvolvimento da chamada ‘telemática’, que é o uso de dispositivos sem fio e tecnologias de ‘caixa preta’ para transmitir dados em tempo real de volta para uma organização.”

Até 2021, é esperado que existam 3,8 bilhões de usuários de smartphones e a telemática móvel irá levar o UBI um passo adiante, “permitindo que as seguradoras usem sensores e tecnologias de rastreamento incorporadas em smartphones para coletar dados em tempo real e entender melhor os hábitos de direção de seus clientes”. “Em última análise, isso dará às seguradoras a oportunidade de oferecer programas de seguro baseados em comportamento mais competitivos e inovadores, ao mesmo tempo em que promove a segurança do motorista”, diz a Bain.

4. Ainda mais Inteligência Artificial

De acordo com a The Economist Intelligence Unit, bancos e seguradoras devem aumentar seus investimentos em IA em 86% até 2025 – e, para a Bain & Company, as empresas precisam explorar todo o potencial da Inteligência Artificial. “Os funcionários com pouca ou nenhuma formação em ciência da computação precisam ser capazes de usá-la para aumentar seu desempenho operacional”, diz.

É por isso que, segundo a consultoria, plataformas mais simples de IA devem surgir, para permitir que os funcionários criem modelos rapidamente, compreendam e confiem em seus resultados com facilidade, além de tomar decisões com segurança.

5. Cibersegurança

A crise da covid-19, segundo a Interpol, criou uma oportunidade sem precedentes para os golpes na internet aumentarem. Segundo a Fortinet, empresa especializada em cibersegurança, 2020 registrou uma alta no número de ataques cibernéticos em todo o mundo. Só no Brasil foram mais de 3 bilhões de tentativas de ataques virtuais.

É por isso que, para a consultoria, “identificar pontos fracos comuns de segurança de TI e desenvolver maturidade em segurança cibernética é fundamental para construir organizações digitais verdadeiramente resilientes.”

Com o custo alto do absenteísmo para as empresas, que chega a custar bilhões de dólares por ano, o varejo, segundo a consultoria, é particularmente dependente de interações presenciais entre clientes e funcionários da loja, “algo que a covid-19 tornou especialmente desafiador.”

De acordo com a Bain, cerca de 88% dos varejistas globais preferem trabalhar com força de trabalho extra do que correr o risco de ficar com falta de pessoal. Essa abordagem leva a altos custos de mão de obra e lucros menores.

Para a consultoria, o que pode resolver a situação são as tecnologias de gerenciamento de força de trabalho, aumentando substancialmente a agilidade e respondendo aos picos de atividade e absenteísmo dos funcionários o que, segundo a Bain, melhoraria o desempenho operacional e a lucratividade das empresas.

7. Dados de saúde

O mercado de big data na área da saúde deve alcançar quase 70 bilhões de dólares em 2025 – valor quase seis vezes mais alto que em 2016, quando era de 11,5 bilhões de dólares. Impulsionada pela pandemia da covid-19, a rápida aceleração da coleta de dados de saúde oferece ao setor uma oportunidade sem precedentes de alavancar e implantar recursos digitais inovadores, como a IA, para melhorar o tratamento.

“O uso inteligente de dados de saúde tem o potencial de melhorar drasticamente o atendimento ao paciente”, diz a Bain.

8. O novo RH

A área de recursos humanos vem crescendo nos últimos anos e estimativas apontam que, em 2025, os millenials serão responsáveis por 3/4 da força de trabalho global.

Com a entrada de mais pessoas dessa geração no mercado de trabalho, as organizações precisarão trabalhar com um grupo cada vez mais digital, modernizando o recrutamento.

“Usar a tecnologia para desenvolver um processo de contratação inovador pode melhorar o desempenho das equipes de RH e permitir a identificação mais rápida dos candidatos mais promissores, ao mesmo tempo que atende às expectativas de uma nova geração de talentos”, afirma a Bain & Company.

9. Economia circular

A penúltima tendência que deve ganhar força em 2021, é “a mudança de relações transacionais baseadas na venda
de produtos para um modelo de produção e consumo que envolve compartilhamento, aluguel, reutilização e reciclagem de materiais e produtos existentes está ganhando força conforme as preferências dos consumidores e acionistas mudam em direção à sustentabilidade.”

Segundo a Bain & Company, as empresas estão sob pressão crescente para reduzir os recursos naturais consumidos na produção de serviços e produtos – como a Apple, por exemplo, que retirou seus carregadores das caixas de seus dispositivos para “evitar o desperdício no ambiente”.

10. Sem desperdício

Em linha com a economia circular, outra tendência que deve se tornar ainda mais forte neste ano é a queda no desperdício de alimentos. De acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, mais de 30% dos alimentos do mundo são perdidos ou desperdiçados todos os anos.

Para a Bain, “usar a tecnologia para reduzir o desperdício pode diminuir significativamente os alimentos descartados por varejistas e empresas, aumentar a segurança alimentar e aliviar o sofrimento de centenas de milhões de pessoas que passam fome”. Em 2019, o valor era estimado em aproximadamente 821 milhões de pessoas.

Fonte: EXAME.com

Os vovôs estão “ON”: Aplicativo para idosos usa jogos para melhorar memória

Chamado "cérebro ativo", o app é gratuito e conta com mais de 5 mil downloads

Por Karina Souza Publicado em: 17/12/2020 às 20h19 (EXAME.com)

Aplicativo quer levar mais qualidade de vida a idosos por meio da tecnologia (Bill Hinton/Getty Images)

Adaptar-se à nova realidade imposta pela pandemia não é uma tarefa fácil. Deixar de ver a família e os amigos é uma escolha complicada — especialmente quando se fala de deixar de abraçar os avós. Pensando em ajudar as pessoas com mais de 60 anos a se distraírem e manterem a capacidade cognitiva em dia, mesmo que à distância, o aplicativo Cérebro Ativo foi lançado em 2020 no mercado brasileiro. Desenvolvido pela International School of Game (ISGAME), o app usa jogos especialmente desenvolvidos para a terceira idade como uma plataforma para melhorar a qualidade de vida dessa população — tudo ao alcance dos dedos.

Tudo começou em 2014, quando Fábio Ota, CEO e fundador da ISGAME, começou a pesquisar sobre como ensinar crianças a desenvolver senso de planejamento e raciocínio lógico usando videogames. No meio do caminho, encontrou várias pesquisas que abordavam o uso dos jogos para prevenção do Alzheimer e mudou o foco: passou a estudar uma nova metodologia para ensinar idosos a jogar e desenvolver videogames. Colocou a metodologia em prática e passou a lecionar para o público com mais de 60 anos.

Dois anos depois, com a metodologia pronta, ele a transformou em um estudo científico, feito com 75 voluntários, de agosto a dezembro de 2016. Com o relatório do experimento pronto, Fábio Ota submeteu o estudo ao PIPE-FAPESP (projeto que apoia a execução de pesquisa científica e/ou tecnológica em micro, pequenas e médias empresas no Estado de São Paulo). O principal intuito era provar que os games são capazes de estimular a cognição e podem retardar a evolução do declínio cognitivo nos idosos. Com a tese confirmada e o aval da instituição, ele recebeu um aporte para sua empresa, de R$ 200 mil.

Em 2018, com o apoio do programa PIPE fase 2, a ISGAME recebeu um novo aporte, de R$ 800 mil, e passou a formatar o aplicativo Cérebro Ativo e disponibilizaram a solução para o mercado. Os primeiros a testarem o app foram, claro, os próprios alunos da ISGAME: mais de 200 idosos tiveram acesso à versão beta e, a partir do feedback deles, a equipe conseguiu ajustar o produto para atender ao seu público.

“Continuaremos acompanhando a startup por mais um ano, para que possam desenvolver ainda mais o seu modelo de negócio e alcançar o impacto desejado. Acreditamos no potencial da ISGAME de inovar e trazer soluções reais para os principais desafios enfrentados pelo público maduro”, diz Ana Biguilin, diretora geral da unidade de negócios Neo Química.

As perspectivas são otimistas porque, segundo Ota, se trata de um produto totalmente desenvolvido para atender a esse público: comandos de voz auxiliam os idosos com visão reduzida ou analfabetos funcionais a se sentirem incluídos pelo app e, além disso, os games utilizam situações da vida real dos idosos para estimulá-los a jogarem. “No teste de memória, por exemplo, simulamos uma ida ao supermercado, em que eles têm de lembrar quais produtos estavam dentro do carrinho”, explica o CEO da ISGAME.

Além disso, colabora para a disseminação do app uma parceria feita pela companhia com a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo. Por meio dela, os idosos têm acesso ao curso online de introdução tecnológica formulado pela companhia, de forma gratuita. E, é claro, podem se tornar novos usuários do Cérebro Ativo.

Potencial, não falta: de acordo com o IBGE, existem 30 milhões de idosos em território brasileiro. Para alcançá-los e melhorar sua qualidade de vida, Ota acredita que é possível levar o uso do “Cérebro Ativo” a outras áreas igualmente interessadas nessa população, como geriatras e seguradoras. Hoje, pelo menos quatro médicos já utilizam o Cérebro Ativo como forma de completar os cuidados com o paciente, segundo a ISGAME.

Fonte: EXAME.com

 

3 celulares chineses com super bateria

Os smartphones evoluíram de forma extraordinária, mas muitas dessas características contribuem para um aumento no consumo de energia.

Postado em 08/07/2020 às 17:00 por TecMundo | 1 min de leitura

Imagem: https://www.slashgear.com/oppo-find-x2-pro-hands-on-power-and-comfort-in-a-single-package-06612349/

Nos últimos anos, os smartphones evoluíram de forma extraordinária, mas muitas dessas características – que incluem processadores ultrarrápidos, telas de altíssima resolução, altas taxas de atualização, recursos de IA, e conectividade 5G – contribuem para um aumento no consumo de energia.

Listamos aqui três smartphones chineses que possuem uma incrível capacidade energética, aliando baterias de alto desempenho a velocidades de carregamento, às vezes, bem acima da média.

Honor X10 Max (5.000 mAh)

Fonte: Honor/Divulgação
Fonte: Honor/Divulgação Fonte:  Honor

O Honor X10 Max é um “monstro” com tela de 7,09”, conectividade 5G, tecnologia RGBW (que oferece altíssimo nível de brilho e ainda economia bateria), suporta gama de cores de 100% DCI-P3 e tem as certificações HDR10 e Rhine TUV (recurso de proteção para os olhos).

Na questão energética, o Honor X10 Max tem uma bateria de 5.000 mAh e suporta ao carregamento rápido de 22,5 W.

O aparelho é disponibilizado em três versões: 6 GB + 64 GB, 6 GB + 128 GB e 8 GB + 128 GB. Elas custam, respectivamente, US$ 269 (R$ 1.447), US$ 297 (R$ 1.598) e US$ 354 (R$ 1.905).

Oppo Find X2 e X2 Pro (65 W)

Fonte: Gizmochina/Reprodução
Fonte: Gizmochina/Reprodução Fonte:  Gizchina

Os Oppo Find X2 e X2 Pro foram lançados em março e ainda figuram entre os smartphones mais rápidos do mundo, segundo o AnTuTu. Contando com o poderoso Snapdragon 865 (com 5G de até 7,5 Gbps de download), eles ainda trazem um dispositivo de armazenamento de altíssimo desempenho, principalmente quando precisam transferir arquivos muito grandes.

No quesito bateria, a do modelo Pro tem 4.260 mAh, enquanto o carregamento rápido chega a incríveis 65 W.

Outras especificações incluem uma tela QHD+ de 120 Hz, HDR10+, brilho de 1200 nits e um bilhão de cores.

Vivo X50 e X50 Pro (4.315 mAh e 33 W)

Fonte: Vivo/Divulgação
Fonte: Vivo/Divulgação Fonte:  Vivo

O Vivo X50 tem uma boa bateria de 4.315 mAh e carregamento rápido de 33 W (4.350 mAh e 44 W no Pro). Mas, além da decente capacidade energética, o aparelho se sobressai mesmo é no departamento câmera: ele tem estabilização de imagem com tecnologia 5-axis, superzoom de 60x, entre outros recursos.

Fonte: TecMundo

Descoberto truque para bloquear todos anúncios no YouTube

Um usuário do Reddit descobriu uma maneira de remover todos os anúncios do YouTube e também o paywall em sites de notícias e jornais.

Se aproveitando de uma falha no nome do host, é possível acessar o conteúdo completo sem que o domínio para veicular os anúncios seja correspondido.

E, na realidade, a falha é incrivelmente simples. O usuário aponta que a única coisa que é preciso fazer, é adicionar um ponto na URL. Assim, o site em questão deixa de acessar os dados do servidor, de um domínio diferente, que são usados para veicular os anúncios (cross-origin resource sharing, ou 'CORS').

Por exemplo:

URL normal: https://www.youtube.com/watch?v=2O4K_tmZs1A

URL alterada: https://www.youtube.com./watch?v=2O4K_tmZs1A

A única alteração necessária na URL é utilizar ".com.", no lugar de apenas ".com". Mas, além de cortar o acesso dos sites aos anúncios, a mudança também corta o acesso aos cookies.

Desta forma, após começar a navegar com o "hack" ensinado no Reddit, a sessão do usuário deixa de ser válida – a menos que ele abra uma nova aba do site. Vale lembrar que o YouTube pode consertar a falha em breve normalizando o nome de host no navegador.

Legal ou não legal?

O YouTube, que é uma plataforma gratuita, é monetizado e gera renda aos criadores através de anúncios. Uma opção de monetizar e oferecer bons recursos é o YouTube Premium, que elimina os anúncios na plataforma e oferece mais alguns extras.

Aqui no Brasil, o Premium chegou em setembro de 2019 e dá a possibilidade de baixar vídeos para assistir offline; não exibe propagandas antes ou durante os vídeos; oferece o serviço YouTube Music e mais.

Mas, além do YouTube, o método também pode afetar sites de notícias e jornais que utilizam o paywall. Este método restringe o acesso a algum tipo de conteúdo, a menos que você seja assinante.

Existem outras maneiras que eliminam anúncios nos sites, como os bloqueadores. Por outro lado, a prática não é considerada das mais éticas, mas gera discussões sobre acesso a conteúdo. Especialmente tratando-se de informação.

Neste caso em questão, não se trata de uma forma ilegal de burlar os anúncios. A falha está no redirecionamento dos próprios sites e pode ser explorada de forma simples, até então.

Também é possível utilizar o mesmo método em smartphones. Basta abrir o navegador e acessar páginas na versão desktop, e depois adicionar o pontinho na URL.

Fonte: TecMundo

Afinal, o que faz o modo avião?

Quem viaja frequentemente de avião já está acostumado: antes da decolagem, os comissários de bordo orientam todos os passageiros a colocarem seus celulares no modo avião. Mas o que isso realmente significa?

A ativação do modo avião faz que o celular pare de emitir todos os sinais que geralmente emite, como Wi-Fi, 4G, bluetooth e outros. Isso garante um “caminho aberto” para que o piloto se comunique com a central de voo.

Do ponto de vista do piloto e daqueles que comandam o voo, celulares que não estão em modo avião emitem sinais que podem interferir na comunicação da equipe com os sistemas dos aeroportos.

No caso de apenas um aparelho estar sem o modo avião ativado, os sinais emitidos por ele não devem ter impacto significativo no voo. Já em um cenário em que dezenas de dispositivos estejam emitindo sinais ao mesmo tempo, isso vai causar uma sobrecarga. E é aí que está o problema: isso pode afetar o avião quando ele estiver em momentos críticos, como quando ocorre a comunicação remota e digital com os aeroportos.

Isso porque, assim como qualquer tecnologia, existe um limite de quantidade de sinal que o sistema de um avião pode suportar. Durante um voo, o modo avião reduz consideravelmente esse volume e permite que diferentes interfaces funcionem normalmente. É uma situação semelhante à que ocorre quando muitas pessoas utilizam o sinal de um mesmo roteador: algumas delas podem não alcançar a conexão desejada.

Os momentos de maior comunicação entre piloto e central de voo ocorrem na decolagem e na aterrissagem. Por isso, é importante que os celulares a bordo da aeronave estejam em modo avião nessas ocasiões.

As aeronaves modernas têm uma grande quantidade de sistemas, que estão cada vez mais digitalizados. Todas as interfaces presentes na cabine de voo se comunicam o tempo todo, seja por fibra ótica, comunicação sem fio ou cabo. E elas podem ser afetadas se uma carga de sinal muito grande atuar sobre elas. Seria exatamente o que ocorreria se houvesse diversos smartphones em um mesmo lugar com o modo avião desativado.

Desligar apenas o Wi-Fi ou o 4G diminui a quantidade de sinais emitidos pelo celular, mas não garante a mesma segurança que ativar o modo avião.

Para quem acha ruim a necessidade de ativar o modo avião ao embarcar para uma viagem, as notícias são boas: ele não deve durar para sempre. Com o avanço das tecnologias de blindagem de sinal das aeronaves, é provável que em algum momento os passageiros não precisem mais ativá-lo em decolagens e pousos.

Fonte: Olhar Digital

O fim do Windows 7: por que o sistema é tão amado e usado até hoje?

Lançado em 2009, o sistema só fica atrás do Windows 10 entre os mais usados para desktops e notebooks

Esta terça-feira (14) é o último dia de “vida” do Windows 7. É a data em que a Microsoft deixa oficialmente de suportar o sistema operacional, com algumas raras exceções. A data marca o fim de uma trajetória de sucesso de um software lançado há mais de 10 anos, no longínquo ano de 2009.

A saga do Vista

Lançado em 2007, o Windows Vista foi inicialmente projetado para chegar ao mercado apenas três anos após o XP, lançado em 2001. Isso dá uma dimensão de como as coisas não estavam caminhando bem dentro da Microsoft, na época dirigida por Steve Ballmer. O executivo viria alguns anos no futuro admitir que o Vista era o seu maior arrependimento como líder da companhia.

E, de fato, não faltaram erros que fizessem o Windows Vista ser ignorado pelo público. O fato mais marcante foi o momento em que Ballmer e sua equipe determinaram um “reset” na base de código do sistema operacional durante sua fase de desenvolvimento. Isso mesmo: foi necessário recomeçar o desenvolvimento do Vista, porque a Microsoft não estava confiante nos rumos que a versão anterior estava tomando, o que significou um atraso enorme na produção e fez com que vários recursos que haviam sido previamente prometidos em público acabassem abandonados.

É claro que uma decisão desse porte afeta a qualidade final do produto, e o mercado reagiu de acordo. O Vista foi instalado em pouquíssimos computadores e até hoje leva a fama de ser um dos piores produtos da Microsoft; ele era visto como lento e pesado e causava uma série de incompatibilidades que atrapalhavam a vida de empresas e usuários, ao mesmo tempo em que o Windows XP funcionava bem o suficiente para justificar uma não-atualização de sistema.

A chegada do Windows 7

Ainda que o Vista tenha sido o fracasso que foi, ele teve uma importância enorme: servir de base para o Windows 7. As ideias que a Microsoft não conseguiu implementar de forma satisfatória seriam refinadas e ajustadas para a nova versão do sistema operacional.

Só de comparar as interfaces já é possível perceber as similaridades com clareza. A identidade visual Aero, implementada no Vista, finalmente chegou a sua versão completa com a versão 7. Isso incluía recursos essenciais da plataforma que são indispensáveis até hoje, como o UAC (Controle de Conta de Usuário), que chegou em um momento em que as ameaças para Windows estavam completamente fora de controle e minimizou o transtorno, o Windows Media Center, o Windows Defender.

Claro que houve novidades o suficiente para justificar uma nova versão do Windows. Boa parte delas solucionava a questão mais grave do Vista: o desempenho. Vários benchmarks da época do lançamento do Windows 7 mostram como o sistema acelerou o tempo de ligamento e desligamento do computador, e os ganhos também eram notáveis para a realização de tarefas no PC, proporcionando melhor usabilidade tanto para os computadores mais potentes quanto para os desktops e notebooks mais simples.

A vida longa do Windows 7

Não é possível falar do sucesso do Windows 7 apenas olhando para o seu antecessor. Ele precisa ser diretamente comparado com seus sucessores para entender por que até hoje ele figura alto na lista de sistemas operacionais mais usados do planeta.

Parece um passado distante, mas de lá para cá, a Microsoft lançou o Windows 8, e a resposta do público não poderia ter sido pior. A empresa viu que os smartphones e tablets estavam ganhando força e decidiu transportar a interface dos blocos dinâmicos do Windows Phone, otimizada para o toque, para os desktops, o que não agradou nem um pouco os usuários de PC.

A remoção do Menu Iniciar fez com que muitos, do dia para a noite, desaprendessem a usar seus computadores. Isso foi especialmente problemático para empresas que precisaram investir em treinamento de seus funcionários para que pudessem fazer o que sempre fizeram sem qualquer transtorno.

Então, não é surpresa que muitas pessoas evitaram o Windows 8 e até mesmo o seu sucessor, o Windows 8.1. A versão 7 ainda funcionava perfeitamente, rodava todos os programas normalmente, era familiar e totalmente suportado pela Microsoft.

O resultado foi simples: um computador sair de fábrica com o Windows 8 era um fator negativo, e não positivo. Consumidores preferiram não migrar e continuaram usando seu Windows 7 enquanto foi possível, e muitas empresas, percebendo essa tendência, continuaram vendendo PCs com Windows 7 até a chegada do 10.

Ainda há quem o prefira no lugar do Windows 10

E há bons motivos para isso. O Windows 10 solucionou boa parte dos problemas que fizeram as versões 8.x serem um fracasso, mas ele também trouxe uma série de outros transtornos que não existiam no passado.

O modelo de negócios da Microsoft com o Windows 10 mudou bastante. Em vez de lançar novas versões pagas a cada três anos, a empresa praticamente deu o Windows 10 para a maioria dos usuários, liberando atualizações semestrais regulares e gratuitas, com novos recursos e novidades.

Isso tem uma implicação: fazer com que a Microsoft procurasse outras fontes de renda para monetização do Windows. Ao usar o sistema operacional, não é muito difícil encontrar publicidade embutida na interface. A dependência de aplicativos distribuídos em uma loja centralizada também não convence o público do PC, por mais que a companhia insista pesado nesse formato.

Talvez mais grave seja a questão da privacidade dos usuários. Com o Windows 10, a Microsoft coleta volumes enormes de dados do público, o que pode ser uma preocupação maior para quem se preocupa com a forma como essas informações são usadas. Nada disso era um problema com o Windows 7.

Não é seguro usar o Windows 7

Apesar de toda essa apreciação pelo sistema operacional, o fim do suporte ao Windows 7 significa que todas as vulnerabilidades que existem no sistema, por mais graves que elas sejam, permanecerão abertas. Muitas delas sequer são conhecidas por enquanto e só serão notadas quando começarem a causar dor de cabeça para os usuários afetados.

O fato é preocupante, porque, segundo a Net Applications, 26% dos usuários de PC ainda estão usando o Windows 7, e pode demorar para esse número chegar a um ponto em que deixe de ser interessante para o cibercrime explorar suas vulnerabilidades.

Essa é uma proporção bastante similar ao que víamos com o Windows XP na época em que ele foi abandonado pela Microsoft, em 2014. A Net Applications registrava uma participação de quase 30% do mercado para o XP nas semanas que antecederam o fim definitivo do suporte. Em 2016, dois anos depois, a participação ainda era de mais de 10%. Foram necessários muitos anos para que o XP finalmente se aproximasse ao patamar de participação desprezível, contando hoje, quase seis anos após o fim do suporte, com 2% do mercado.

Fonte: Olhar Digital

↓
× Como posso te ajudar?