Você sabe o que é Overclock? Veja como melhorar o desempenho do seu PC

No mundo da computação, especialmente entre os entusiastas de hardware, o termo "overclock" é frequentemente usado. Mas o que isso realmente significa? E como isso pode melhorar o desempenho do seu computador? Neste artigo, vamos explorar o conceito de overclocking e como você pode aplicá-lo para obter um desempenho aprimorado do seu PC.

O que é Overclock?

Overclocking refere-se ao processo de aumentar a velocidade de funcionamento de um componente de hardware de um computador para além das especificações definidas pelo fabricante. Os componentes mais comumente overclockados são o processador (CPU) e a placa gráfica (GPU), embora também seja possível overclockar a memória RAM e outros elementos.

Por que Overclock?

A razão pela qual alguém pode querer overclockar seu hardware é simples: melhorar o desempenho do sistema. Ao aumentar as velocidades de clock do processador ou da GPU, você pode obter taxas de quadros mais altas em jogos, tempos de renderização mais rápidos em aplicativos de design gráfico e vídeo, e geralmente uma experiência mais ágil e responsiva em todas as tarefas computacionais.

Como Overclock?

Overclocking é um processo que requer cuidado e paciência. Aqui estão os passos básicos para fazer overclock do seu hardware:

  • Pesquisa e Planejamento: Antes de começar a fazer overclock, é essencial pesquisar sobre o seu hardware específico. Você precisa conhecer as limitações do seu processador, placa gráfica e placa-mãe. Além disso, certifique-se de entender as implicações de longo prazo do overclocking, como aumento de temperatura e possíveis danos aos componentes.
  • Ferramentas e Software: Você precisará de software especializado para fazer overclock do seu hardware. Existem várias ferramentas disponíveis, algumas desenvolvidas pelos próprios fabricantes de hardware e outras por terceiros. Ferramentas populares incluem o MSI Afterburner para placas gráficas NVIDIA e AMD, e o Intel Extreme Tuning Utility para CPUs Intel.
  • Configurações do BIOS/UEFI: Muitas vezes, o overclocking é realizado ajustando-se as configurações no BIOS ou UEFI da placa-mãe. Aqui, você pode aumentar os clocks da CPU, ajustar as voltagens e modificar outras configurações relacionadas ao desempenho do sistema.
  • Teste e Ajuste: Após fazer as modificações nas configurações de overclock, é crucial testar a estabilidade do sistema. Existem várias ferramentas de teste de estresse disponíveis, como o Prime95 e o FurMark, que podem ajudar a garantir que seu sistema esteja funcionando corretamente sob carga pesada. Se o sistema travar ou apresentar instabilidade durante o teste, pode ser necessário ajustar as configurações de overclock para baixo.
  • Monitoramento da Temperatura: O aumento do desempenho geralmente resulta em maior geração de calor. Portanto, é importante monitorar as temperaturas do seu hardware enquanto faz overclock. Isso pode ser feito usando programas de monitoramento de hardware, como o HWMonitor ou o NZXT CAM.
  • Resfriamento Adequado: Para evitar danos ao seu hardware, é essencial garantir um resfriamento adequado. Isso pode envolver a instalação de um dissipador de calor mais eficiente, a utilização de um sistema de refrigeração líquida ou simplesmente garantir que o fluxo de ar dentro do gabinete do computador seja adequado.

Overclocking pode ser uma maneira eficaz de extrair mais desempenho do seu hardware existente, mas é importante proceder com cautela. Faça sua pesquisa, siga as melhores práticas e esteja ciente dos riscos envolvidos. Além disso, lembre-se de que o overclocking pode anular a garantia do seu hardware, então esteja preparado para assumir a responsabilidade por quaisquer danos que possam ocorrer.

Se feito corretamente, o overclocking pode oferecer uma maneira emocionante de maximizar o potencial do seu PC e desfrutar de um desempenho aprimorado em suas atividades computacionais favoritas.

HD Corrompido: Identifique e Previna Perda de Dados

Os discos rígidos (HDs) desempenham um papel crucial no armazenamento de dados em computadores e outros dispositivos eletrônicos. No entanto, esses dispositivos não estão imunes a falhas, e uma das situações mais temidas é a corrupção do HD. A corrupção do HD pode levar à perda de dados valiosos e, portanto, é essencial entender como identificar e prevenir esse problema. Neste artigo, abordaremos os sintomas de um HD corrompido, as causas subjacentes, métodos de identificação e, o mais importante, estratégias para prevenir a perda de dados.

Sintomas de um HD Corrompido

Identificar a corrupção de um HD é crucial para tomar medidas proativas antes que a situação piore. Alguns dos sintomas mais comuns incluem:

  • Acesso lento ou impossível: Se o acesso aos arquivos no HD está mais lento do que o normal ou se torna impossível, isso pode indicar corrupção nos setores do disco.
  • Erros de leitura/gravação: Mensagens de erro frequentes ao tentar ler ou gravar dados no HD são sinais claros de problemas de corrupção.
  • Desaparecimento de arquivos: Arquivos ou pastas que desaparecem inexplicavelmente podem ser resultado de corrupção de dados.
  • Setores defeituosos: A verificação de setores defeituosos usando ferramentas específicas pode revelar a saúde geral do HD. Se muitos setores defeituosos forem encontrados, é um sinal de possível corrupção.

Causas da Corrupção do HD

Entender as causas da corrupção do HD é crucial para implementar medidas preventivas adequadas. Algumas das principais razões incluem:

  • Falha de hardware: Componentes físicos do HD, como cabeças de leitura/gravação, podem falhar ao longo do tempo, levando à corrupção dos dados.
  • Setores defeituosos: Setores defeituosos podem se desenvolver devido ao desgaste natural do HD, resultando em falhas na leitura e gravação de dados.
  • Infecções por malware: Malwares, como vírus e ransomwares, podem corromper dados armazenados no HD.
  • Interrupções de energia: Desligamentos inesperados devido a falhas de energia podem causar danos aos dados em processo de gravação.

Métodos de Identificação de Corrupção do HD

Para identificar se um HD está corrompido, podem ser utilizadas diversas ferramentas e métodos:

  • Verificação de setores defeituosos: Ferramentas de diagnóstico de disco podem ser usadas para identificar e corrigir setores defeituosos.
  • Verificação de erros no sistema de arquivos: Utilizar a verificação de erros no sistema de arquivos pode ajudar a identificar e corrigir problemas relacionados à estrutura de arquivos no HD.
  • Monitoramento do desempenho: Observar o desempenho geral do HD, utilizando utilitários específicos, pode fornecer sinais precoces de possíveis problemas.
  • Análise de logs: Verificar os logs do sistema em busca de mensagens de erro relacionadas ao HD pode revelar problemas em estágios iniciais.

Prevenção da Corrupção do HD e Perda de Dados

Além da identificação precoce, a prevenção é fundamental para evitar a perda de dados. Algumas estratégias incluem:

  • Backup regular: Realizar backups periódicos dos dados é uma prática fundamental para garantir que, mesmo em caso de falha do HD, os dados possam ser recuperados.
  • Atualizações regulares: Manter o sistema operacional e o software antivírus atualizados é crucial para proteger o HD contra ameaças de malware.
  • Proteção contra surtos de energia: Utilizar dispositivos como estabilizadores ou no-breaks pode ajudar a proteger o HD contra danos causados por interrupções de energia.
  • Manuseio adequado: Evitar choques físicos e manusear o HD com cuidado pode prolongar sua vida útil e reduzir o risco de falhas.

A corrupção do HD é uma ameaça real que pode resultar na perda irreparável de dados importantes. Identificar os sintomas, entender as causas subjacentes e implementar medidas preventivas são passos cruciais para garantir a integridade dos dados armazenados. Ao adotar práticas de manutenção e prevenção, os usuários podem mitigar os riscos associados à corrupção do HD e desfrutar de uma experiência de armazenamento de dados mais segura e confiável.

HD e SSD: Você sabe a diferença?

Em um mundo cada vez mais digital, o armazenamento de dados é uma parte essencial da nossa vida cotidiana. Seja para trabalho, entretenimento ou armazenamento de memórias, a escolha do dispositivo de armazenamento certo desempenha um papel crucial. Dois dos tipos mais comuns de armazenamento são os discos rígidos (HD) e os drives de estado sólido (SSD), ambos com características distintas que impactam o desempenho, a confiabilidade e o preço. Vamos explorar as diferenças entre HD e SSD para ajudar a orientar sua escolha.

  1. Tecnologia Subjacente
    A principal diferença entre HD e SSD está na tecnologia utilizada para armazenar dados. O HD utiliza discos magnéticos rotativos para armazenar informações. Esses discos são cobertos por uma camada magnética e são lidos por cabeças de leitura/gravação enquanto giram a uma velocidade constante. Por outro lado, os SSDs utilizam memória flash NAND para armazenamento, sem partes móveis. Isso significa que os SSDs são mais rápidos e menos propensos a falhas mecânicas, proporcionando uma experiência mais eficiente em termos de desempenho.
  2. Velocidade de Leitura e Gravação
    Um dos benefícios mais notáveis dos SSDs é a velocidade. Enquanto os HDs têm limitações físicas devido à rotação dos discos, os SSDs oferecem tempos de acesso quase instantâneos. A velocidade de leitura e gravação de um SSD pode ser várias vezes mais rápida do que a de um HD. Isso resulta em um sistema mais ágil, com tempos de inicialização mais curtos, transferências de arquivos mais rápidas e uma experiência geral do usuário mais responsiva.
  3. Confiabilidade e Durabilidade
    Os SSDs são geralmente mais confiáveis e duráveis do que os HDs. Como os SSDs não têm partes móveis, eles são menos propensos a falhas mecânicas relacionadas ao movimento, como desgaste dos discos ou falha das cabeças de leitura/gravação. Além disso, os SSDs são mais resistentes a choques físicos, tornando-os ideais para laptops e dispositivos portáteis.
  4. Capacidade e Custo
    Apesar de todas as vantagens dos SSDs, os HDs ainda têm uma vantagem significativa em termos de capacidade e custo por gigabyte. Os HDs oferecem opções de armazenamento massivas a preços mais acessíveis em comparação com os SSDs. Se você precisa de uma grande quantidade de armazenamento a um custo mais baixo e não está tão preocupado com a velocidade, um HD ainda pode ser a escolha certa para você.
  5. Escolhendo o Melhor para Você
    A escolha entre HD e SSD dependerá das suas necessidades específicas. Se velocidade, confiabilidade e durabilidade são prioridades, os SSDs são a escolha mais indicada. No entanto, se você precisa de um grande espaço de armazenamento a um custo mais baixo e não se importa tanto com a velocidade, um HD pode ser a melhor opção.

HDs e SSDs têm características distintas que atendem a diferentes necessidades de armazenamento. Enquanto os HDs oferecem capacidade massiva a preços mais acessíveis, os SSDs se destacam em velocidade, confiabilidade e durabilidade. A escolha entre os dois dependerá das suas prioridades e do uso pretendido. Em muitos casos, a combinação de ambos, usando um SSD para o sistema operacional e aplicativos e um HD para armazenamento de dados, pode oferecer o equilíbrio perfeito entre desempenho e capacidade.

PC Caro? Saiba quais os componentes que mais Influenciam o preço de um computador

Investir em um novo computador pode ser uma tarefa desafiadora, especialmente quando nos deparamos com uma ampla variedade de opções e preços. Muitas vezes, a pergunta que surge é: por que alguns PCs são tão caros? A resposta para essa questão está diretamente ligada aos componentes utilizados na construção da máquina. Vários elementos contribuem para o custo final, e entender esses fatores é crucial para fazer uma compra informada. Neste artigo, vamos explorar os principais componentes que mais influenciam o preço de um computador.

  • 1. Processador (CPU):
    O processador é frequentemente considerado o "cérebro" do computador. Modelos mais potentes, com maior número de núcleos e velocidades de clock mais altas, geralmente resultam em um preço mais elevado. Processadores de última geração, fabricados com tecnologias avançadas, também contribuem para o custo final do PC.
  • 2. Placa de Vídeo (GPU):
    Para aqueles que buscam um computador para tarefas gráficas intensivas, como jogos ou edição de vídeo, a placa de vídeo é um componente crucial. GPUs de alta performance, especialmente as voltadas para jogos e design profissional, podem ser significativamente caras. A marca, a quantidade de VRAM (memória de vídeo) e a arquitetura da GPU também influenciam o preço.
  • 3. Memória RAM:
    A quantidade e a velocidade da memória RAM são fatores determinantes no desempenho geral do computador. Módulos de RAM com maior capacidade e velocidades mais rápidas são mais caros. Para tarefas como edição de vídeo e design gráfico, uma quantidade maior de RAM pode ser essencial, o que pode aumentar o custo do PC.
  • 4. Armazenamento:
    O tipo e a capacidade de armazenamento também afetam o preço. SSDs (unidades de estado sólido) são mais rápidos e confiáveis do que os HDDs (discos rígidos tradicionais), mas também são mais caros por gigabyte. Além disso, SSDs com tecnologias mais recentes, como NVMe, geralmente têm um custo mais elevado.
  • 5. Placa-mãe:
    A placa-mãe é o componente que conecta todos os outros e fornece a base para o sistema. Placas-mãe de alta qualidade, com recursos avançados como suporte para overclocking, conectividade USB-C e múltiplos slots PCIe, tendem a ser mais caras.
  • 6. Fonte de Alimentação:
    Uma fonte de alimentação eficiente e confiável é crucial para o bom funcionamento do PC. Fontes de alimentação com certificações de eficiência, maior capacidade de fornecimento de energia e recursos como cabeamento modular podem aumentar o custo.
  • 7. Gabinete e Refrigeração:
    O gabinete e os sistemas de refrigeração também podem impactar o preço final. Gabinetes com design premium, materiais de construção de alta qualidade e sistemas de refrigeração avançados podem custar mais.
  • 8. Extras e Periféricos:
    A inclusão de extras, como teclado mecânico, mouse gamer, monitor de alta taxa de atualização e outros periféricos de qualidade, pode adicionar consideravelmente ao custo total do pacote.

Ao escolher um novo computador, é importante equilibrar as necessidades individuais com o orçamento disponível. Avaliar cuidadosamente cada componente e entender como eles contribuem para o desempenho geral pode ajudar na tomada de decisões mais informadas. Vale ressaltar que, em alguns casos, é possível economizar dinheiro optando por componentes de gerações anteriores ou considerando o mercado de segunda mão, desde que as necessidades específicas sejam atendidas.

Segredos dos Experts: Transforme seu Computador com Atualizações de Hardware

Fazer um upgrade de hardware em seu computador pode ser uma ótima maneira de prolongar sua vida útil e melhorar o desempenho, permitindo que você aproveite os avanços tecnológicos mais recentes. Neste artigo, exploraremos o mundo dos upgrades de hardware, incluindo quando é a hora certa para fazer essas atualizações e como realizá-las com sucesso. Vamos nos concentrar em atualizações comuns, como RAM, placa de vídeo e processador.

Quando é a hora certa para um upgrade de hardware?

Antes de correr para comprar novos componentes para o seu computador, é importante determinar se um upgrade de hardware é necessário. Aqui estão algumas situações em que pode ser a hora certa para um upgrade:

Desempenho insatisfatório: Se o seu computador está lutando para executar tarefas cotidianas ou aplicativos mais recentes, é um sinal de que você pode se beneficiar de um upgrade.

Limitações de memória: Se você está constantemente ficando sem espaço em RAM e vendo seu sistema operacional usar a memória virtual, considerar um aumento na capacidade de RAM é uma boa ideia.

Jogos ou aplicativos exigentes: Se você é um jogador ávido ou usa aplicativos de edição de vídeo, 3D ou design gráfico, uma placa de vídeo mais poderosa pode melhorar drasticamente o desempenho.

Tecnologia obsoleta: Se o seu hardware estiver desatualizado e você quiser usar os recursos mais recentes de software e periféricos, pode ser hora de atualizar.

Ruído e temperatura: Se o seu computador está ficando muito barulhento ou esquentando demais, uma atualização de hardware pode ajudar a reduzir esses problemas.

Como atualizar componentes de hardware

Agora que você identificou a necessidade de um upgrade, é hora de aprender como realizar a atualização com sucesso. Vamos discutir três atualizações comuns: RAM, placa de vídeo e processador.

1. Atualizando a RAM:

Adicionar mais memória RAM é uma das atualizações mais simples e eficazes. Siga estas etapas:

  • Descubra que tipo de RAM é compatível com a sua placa-mãe.
  • Adquira os módulos de RAM compatíveis com a capacidade máxima da placa-mãe.
  • Desligue o computador, desconecte-o da energia e abra o gabinete.
  • Localize os slots de RAM vazios na placa-mãe e insira os módulos de RAM cuidadosamente.
  • Feche o gabinete, ligue o computador e verifique se a RAM adicional é reconhecida no sistema.

2. Atualizando a placa de vídeo:

Se você deseja melhorar os gráficos para jogos ou aplicativos exigentes, siga estas etapas:

  • Descubra que tipo de placa de vídeo é compatível com a sua placa-mãe e gabinete.
  • Compre uma placa de vídeo que atenda às suas necessidades.
  • Desligue o computador, desconecte-o da energia e abra o gabinete.
  • Desconecte a placa de vídeo antiga (se houver) e insira a nova placa no slot PCI Express.
  • Conecte os cabos de alimentação necessários à placa de vídeo.
  • Feche o gabinete, ligue o computador e instale os drivers mais recentes da placa de vídeo.

3. Atualizando o processador:

A atualização do processador é mais complexa e requer mais cuidado:

  • Verifique a compatibilidade do processador com a placa-mãe e o socket.
  • Remova o dissipador de calor e o cooler do processador antigo com cuidado.
  • Solte o processador antigo e coloque o novo processador no lugar, alinhando os pinos ou contatos.
  • Aplique uma fina camada de pasta térmica, recoloque o cooler e o dissipador de calor e fixe-os firmemente.
  • Ligue o computador, verifique a temperatura e instale os drivers atualizados.
  • Lembre-se de que a atualização do processador pode ser complicada, e você deve tomar cuidado para evitar danos à CPU e à placa-mãe.

Em todos os casos, faça backup dos seus dados importantes antes de iniciar qualquer atualização e leia as instruções do fabricante dos componentes. Se não se sentir confortável fazendo essas atualizações por conta própria, considere a ajuda de um profissional de assistência técnica.

Ao seguir estas diretrizes, você poderá desfrutar de um computador mais rápido e eficiente, adaptado às suas necessidades específicas. Não subestime o poder de um upgrade de hardware bem escolhido para melhorar significativamente o seu sistema.

Esqueci a senha da Bios do meu PC! O que fazer?

Alguma vez você já passou por um momento de completo desespero ao perceber que esqueceu a sua senha da Bios? A sensação é de impotência, não é mesmo?

Mas, antes que você comece a se perguntar se terá que comprar um novo PC, quero que saiba que existem soluções para esse problema. E o melhor de tudo, você mesmo pode resolvê-lo.

A Importância da Senha da Bios

Antes de mergulharmos nas soluções para recuperar ou redefinir a senha da Bios, é importante entender o que é a Bios e porque a senha dela é tão importante.

O que é a Bios?

A Bios (Basic Input Output System) é um software incorporado ao hardware do seu PC que inicializa o sistema operacional quando você o liga.

Ela é responsável por dar o pontapé inicial no seu sistema, preparando todos os componentes do hardware para que o sistema operacional possa funcionar corretamente.

Por que a Senha da Bios é Importante?

A senha da Bios oferece um nível extra de segurança para o seu PC, impedindo o acesso não autorizado ao sistema.

Se você esquecer essa senha, ficará impossibilitado de fazer alterações nas configurações da Bios, o que pode ser um problema quando você precisar, por exemplo, alterar a ordem de inicialização do sistema.

Como Recuperar a Senha da Bios

Esquecer a senha da Bios pode ser um grande inconveniente, mas existem maneiras eficazes para recuperá-la. Confira o passo a passo de como fazer isso:

Reiniciar a BIOS

Passo 1: Desligue o seu computador e desconecte-o da tomada para garantir a segurança.

Passo 2: Abra o gabinete do computador. O manual do usuário pode ajudar a identificar como fazer isso corretamente.

Passo 3: Procure a bateria CMOS na placa-mãe. Ela parece uma moeda prateada.

Passo 4: Remova a bateria CMOS com cuidado. Você pode usar uma ferramenta não condutiva para ajudar.

Passo 5: Aguarde entre 5 a 10 minutos. Isso permitirá que as informações armazenadas sejam apagadas, incluindo a senha da Bios.

Passo 6: Recoloque a bateria CMOS na placa-mãe.

Passo 7: Feche o gabinete do computador e ligue-o.

Depois de reiniciar, a Bios deverá ter voltado às configurações de fábrica, e a senha anterior será apagada.

Usar um Software de Recuperação de Senha

Passo 1: Em outro computador, baixe um software de recuperação de senha da Bios. Alguns exemplos incluem o CmosPwd e o PC CMOS Cleaner.

Passo 2: Instale o software em um pendrive ou CD.

Passo 3: Insira o pendrive ou CD no computador com a Bios bloqueada.

Passo 4: Reinicie o computador e faça-o inicializar a partir do pendrive ou CD.

Passo 5: Siga as instruções fornecidas pelo software para recuperar a senha da Bios.

Entrar em Contato com o Fabricante do PC

Passo 1: Tenha o número do modelo do seu PC em mãos.

Passo 2: Entre em contato com o suporte técnico do fabricante do PC.

Passo 3: Explique a situação ao representante de atendimento ao cliente.

Passo 4: Siga as instruções fornecidas pelo representante para recuperar a senha da Bios.

Atenção!

Recomenda-se, ao adotar qualquer um destes procedimentos, o acompanhamento de um técnico capacitado.

Também é altamente recomendado se precaver de quedas de energia a fim de evitar maiores danos ao equipamento durante a execução destes procedimentos.

Fale conosco!

Lembre-se, cada situação é única, e nem todas as soluções podem funcionar para todos. Sempre é melhor consultar um profissional se não se sentir confortável em realizar esses procedimentos por conta própria.

A Diagonal Informática possui equipamentos para efetuar a regravação ou troca da bios, garantindo maior eficiência e segurança durante a manutenção.

Se você não se sentir confortável em tentar redefinir a senha da Bios por conta própria, pode entrar em contato agora com um de nossos Técnicos e agendar a melhor hora para trazer o seu PC para desbloquearmos sem prejudicar o funcionamento do seu dispositivo!

Seu computador está lento? Uma SSD pode ser a solução

A iniciativa de instalar SSD no PC ou notebook é uma das melhores decisões para manter o equipamento mais estável e mais rápido. Anualmente, devido ao uso e acumulação de arquivos, o computador torna-se lento o que exige atualização do sistema operacional e de componentes internos.

Principalmente, em tempos de inflação alta e retração da economia no período pós-pandemia, fazer um upgrade na máquina sai bem mais barato do que comprar um equipamento novo.

Vários fatores podem deixar a máquina lenta, além do uso constante, a instalação de arquivos e de programas, bem como as atualizações de softwares começam a sobrecarregar o sistema e os programas mais usados.

Os computadores mais antigos ou fabricados até 2018, apresentam a unidade de disco no formato de HD, cuja capacidade de processamento de dados é mais lenta do que os novos SSDs que estão se tornando mais populares no mercado.

A popularização do SSD

Para uso pleno em computadores de mesa (PC), notebooks e servidores, a instalação de SSD tem sido a mais indicada para gerar mais velocidade para PC antigo ou usado, independente de sua data de fabricação.

O SSD é reconhecido como um disco de armazenamento que utiliza memória flash não volátil para acesso pleno dos dados.

Instalar SSD

A instalação desse componente mais rápido e seguro é fundamental para acelerar o desempenho do computador. Geralmente, a ausência de atualizações no sistema e nos componentes (peças) geram lentidão e perdas de dados para os usuários.

Se a decisão é atualizar o Windows, a boa dica é, antes da atualização, solicitar ao técnico de confiança fazer a instalação de SSD com a capacidade de armazenamento de arquivos adequada.

Principais benefícios

O SSD oferece muitos benefícios para quem precisa de um computador mais potente e veloz. Em muitos casos, poderá ser indicado fazer um upgrade completo com a instalação do SSD, de mais memória RAM e placa de vídeo.

Mas, no caso de somente aprimorar a velocidade de trato de dados e do sistema, basta fazer a instalação do SSD que a máquina já apresentará uma melhora substancial.

Dentre os principais benefícios desse tipo de disco, podemos citar

1 – Mais durabilidade

O SSD oferece mais durabilidade e confiabilidade, principalmente no tocante ao calor. Sabemos que o calor tende a ser a principal causa de falhas ocorridas em discos rígidos, no caso do SSD ele consegue compensar o calor e torna-se mais resistente à batidas, sacudidas e desgastes.

2 – Mais velocidade

Como explicamos anteriormente, o SSD costuma ser mais rápido em comparação com o HD tradicional, oferecendo menor tempo de inicialização do sistema, maior largura interna de banda e mais estabilidade.

3 – Economia de energia

Quando o assunto é economia de energia, o SSD oferece otimização no uso de energia dentro do equipamento, e elevação da potência para manter a alimentação da máquina.

Conclusão

Portanto, quando o assunto é Instalar SSD o usuário pode se sentir seguro com essa decisão para melhorar a performance de seu equipamento. E se precisar de um upgrade na sua máquina, conte com a Diagonal Informática.

Como testar a bateria do seu notebook?

A bateria do notebook é um dos componentes mais importantes, pois alimenta o aparelho. Sem ela, não seria possível utilizar o computador portátil. Por isso, é essencial saber como testá-la e identificar se está funcionando corretamente. Nesse artigo, vamos ensinar a vocês como fazer esse procedimento!

A importância da bateria para seu notebook

A peça principal do notebook é a bateria. Sua função é armazenar energia para alimentar o notebook sem precisar de uma fonte externa de energia, como uma tomada elétrica.

Isso torna o notebook um dispositivo portátil, útil para levar para fora de casa ou para lugares onde não há acesso à eletricidade. As baterias também são importantes porque permitem que os notebooks sejam utilizados em situações em que não há uma fonte de energia disponível, como em um avião ou em um trem.

Além disso, as baterias permitem que os notebooks sejam usados em lugares onde é impossível ou perigoso usar uma fonte externa de energia, como no topo de uma montanha ou em um deserto.

Por fim, as baterias também são importantes porque permitem que os notebooks sejam usados em situações em que a eletricidade é instável ou interrompida, como durante um apagão ou um blecaute. Sem uma bateria, um notebook não seria muito útil.

Como testar a bateria do seu notebook

Você está com problemas de bateria no notebook? Saiba que é possível testar a bateria do seu aparelho para descobrir o que está errado.

Existem algumas maneiras de fazer isso, mas vamos mostrar aqui duas maneiras básicas e fáceis de testar a bateria do notebook.

1. Teste visual da bateria do notebook

O primeiro passo para testar a bateria do notebook é fazer um teste visual da bateria. Para isso, você vai precisar de um par de luvas e uma lanterna.

Primeiro, retire a bateria do notebook e inspecione-a cuidadosamente. Você deve procurar sinais de danos, como arranhões ou furos. Se a bateria estiver muito danificada, ela pode não funcionar corretamente ou até mesmo causar danos ao notebook.

Além disso, você deve procurar sinais de vazamento ou de uma bateria inchada. Uma bateria inchada é um sinal de que a bateria está danificada e precisa ser substituída.

Se você não encontrar nenhum desses sinais, a bateria pode estar funcionando corretamente.

2. Teste da bateria do notebook com um multímetro

O segundo passo para testar a bateria do notebook é usar um multímetro para medir o nível de carga da bateria. Você pode comprar um multímetro em lojas de eletrônicos ou ferramentas.

Para fazer esse teste, você vai precisar de um multímetro, uma bateria nova e uma bateria usada.

Primeiro, conecte o multímetro à bateria nova e verifique o nível de carga da bateria. O nível de carga da bateria deve estar entre 12,6 volts e 12,8 volts.

Em seguida, conecte o multímetro à bateria usada e verifique o nível de carga da bateria. O nível de carga da bateria deve estar entre 11,4 volts e 11,6 volts.

Se o nível de carga da bateria for inferior a 11,4 volts, isso significa que a bateria está descarregada e precisa ser substituída.

Agende a troca da sua bateria!

Se depois de testar a bateria do seu notebook e constatar que esta precisa ser substituída, não perca mais tempo, entre agora em contato conosco e fale diretamente com um de nossos Consultores, eles irão orientá-lo sobre qual o melhor modelo e marca para seu notebook funcionar perfeitamente.

Portanto, não tempo, agende agora a troca da sua bateria!

Vale a pena trocar a tela do notebook?

A tela do notebook é um dos componentes mais importantes, pois é ela que nos permite visualizar as informações contidas no computador. Por isso, é importante estar atento à sua qualidade e se precisa ou não de uma troca. Neste artigo, vamos falar um pouco sobre a tela do notebook e se vale a pena trocá-la!

De olho na tela do seu Notebook

A tela do notebook é composta por uma camada de vidro e uma camada de LCD. A camada de LCD é responsável por emitir a luz que ilumina o vidro, e o vidro é o que nos permite visualizar as informações da tela.

A qualidade da tela do notebook é importante, pois uma tela de baixa qualidade pode causar cansaço nos olhos e até mesmo dores de cabeça.

Além disso, uma tela de baixa qualidade também pode afetar a produtividade, pois as informações podem não ser tão claras.

Sinais que indicam a necessidade de fazer a troca da tela do notebook

Existem alguns sinais que indicam que a tela do seu notebook está com problemas e precisa de uma troca. Um dos sinais é o aparecimento de manchas na tela.

Outro sinal é quando a tela fica escura ou pisca constantemente. Se você está percebendo esses sinais, é importante levar seu notebook para uma assistência técnica para fazer a troca da tela.

Vale ressaltar que a troca da tela do notebook não é um procedimento barato e deve ser feito por um técnico especializado.

Além disso, também é importante verificar se a garantia do seu notebook ainda está valendo, pois algumas empresas oferecem a troca da tela dentro do período de garantia.

Vale a pena trocar a tela no notebook?

A resposta é simples, SIM! A tela do notebook é um dos componentes mais importantes do computador e merece atenção especial. Além disso, a troca da tela também pode melhorar a produtividade, pois as informações serão exibidas de forma mais clara e nítida.

A tela é um componente que pode sofrer diversos tipos de problemas, como riscos, manchas e até mesmo quebra. Por isso, a troca da tela do notebook pode aumentar a vida útil do seu notebook.

Muita gente costuma conectar o notebook a uma tv ou monitor externo, no entanto, esta prática com o tempo vai danificar a qualidade da imagem e tornar seu computador mais lento e com uma qualidade de definição inferior, especialmente se você utiliza seu notebook para trabalhar ou estudar.

Portanto, trocar a tela do notebook quando este apresentar falhas é fundamental para manter a qualidade do seu dispositivo.

Solicite já a troca da tela do seu notebook!

A Diagonal Informática é especializada na troca de tela e manutenção de notebooks em geral.

Na Diagonal Informática fazemos a troca e, ainda oferecemos, garantia de 90 dias para todos os nossos serviços, além de utilizarmos peças originais nas trocas.

Portanto, entre em contato agora mesmo para fazer um orçamento ou solicitar mais informações sobre a troca da tela do seu notebook!

6 dicas de Manutenção Preventiva em Impressoras

As impressoras são equipamentos essenciais para a rotina de qualquer empresa. Porém, com o tempo de uso, elas podem apresentar problemas que comprometam o seu funcionamento. Para evitar que isso aconteça, neste post, trazemos 6 dicas de manutenção preventiva em impressoras para manter o seu equipamento sempre em ordem!

6 Dicas para fazer a Manutenção Preventiva em Impressoras

As impressoras estão cada vez mais presentes em nosso dia a dia. Seja na escola, no trabalho ou em casa, elas facilitam a nossa vida. Mas para que elas estejam sempre funcionando da maneira correta é necessário realizar manutenções preventivas periódicas.

1. Limpeza do equipamento

A primeira dica é manter o seu equipamento sempre limpo. A poeira tende a se acumular, principalmente nos componentes eletrônicos, causando problemas no funcionamento da impressora.

Para fazer a limpeza periódica da sua impressora (pelo menos uma vez a cada 10 dias), use um pano seco para retirar a sujeira do equipamento e mantê-lo limpo.

Para sujeiras mais grossas, você pode usar um pano umedecido com água e sabão neutro. Nunca use produtos químicos ou solventes, pois eles podem danificar o equipamento.

Evite utilizar materiais abrasivos como esponja de aço ou lã de vidro, pois eles podem arranhar ou danificar as partes do equipamento.

2. Verifique os níveis de tinta ou toner

Além da limpeza, a manutenção preventiva em impressoras requer cuidados básicos como os níveis e a qualidade das tintas. É importante manter os níveis de tintas ou toner em dia, pois isso pode interferir diretamente na qualidade da impressão. Caso contrário, as imagens podem ficar manchadas ou com falhas.

Antes de escolher as tintas para sua impressora, verifique a procedência da mesma e a qualidade do produto. Impressoras com tintas originais tendem a imprimir por mais tempo e com qualidade superior.

3. Cuidado na hora da instalação do cartucho

Outro cuidado importante é manter os cartuchos limpos e bem instalados. A manutenção preventiva deve ser feita pelo menos uma vez a cada mês, para que não haja problemas na hora da impressão.

Caso o cartucho esteja sujo ou com defeito, a qualidade da impressão pode ser comprometida. Por isso, é importante manter os cartuchos sempre limpos e em boas condições de uso.

4. Verifique as conexões elétricas e usb

As conexões elétricas e usb também merecem atenção especial. É importante verificar se elas estão bem fixadas e em boas condições de uso.

Às vezes, uma simples manutenção preventiva pode evitar problemas futuros. Por isso, não deixe de fazer a manutenção do seu equipamento com regularidade.

5. Mantenha o software atualizado

Outra dica importante é manter o software da sua impressora sempre atualizado. As atualizações trazem melhorias no funcionamento do equipamento e ainda corrigem eventuais bugs.

Para manter o software da sua impressora sempre atualizado, basta acessar o site do fabricante e baixar as atualizações mais recentes.

6. Periodicidade de uso

Por fim, mas bem importante, lembre-se de sempre imprimir algo pelo menos 1 vez por semana, principalmente em se tratando de impressoras jato de tinta para evitar o entupimento das cabeças de impressão.

Conclusão

Como vimos, a manutenção preventiva em impressoras é fundamental para o bom funcionamento da sua impressora. Siga as nossas dicas e mantenha o seu equipamento sempre em ordem!

Em caso de qualquer problema, a melhor maneira de resolver é consultar um técnico especializado. Ele poderá identificar o problema e recomendar a manutenção mais adequada para o seu equipamento.

Portanto, se sua impressora apresentou defeitos ou precisa ser trocada, fale conosco e conheça nosso catálogo de produtos recém chegados!

↓