Google diz ter atingido a supremacia quântica

Processador quântico desenvolvido pela empresa teria resolvido, em três minutos e 20 segundos, um problema que um computador tradicional levaria 10 mil anos para resolver

Rafael Rigues 24/09/2019 09h54 (Olhar Digital)

De acordo com um artigo publicado no jornal Financial Times, engenheiros do Google atingiram a chamada “supremacia quântica”, momento em que é provado que um computador quântico consegue resolver problemas que um computador “clássico”, como os sistemas atuais, é incapaz de resolver.

A informação veio de um artigo assinado por engenheiros do Google que foi postado em um site da Nasa na semana passada e rapidamente removido, mas não antes que o Financial Times conseguisse uma cópia.

De acordo com o texto, um processador quântico batizado de “Sycamore” conseguiu, em três minutos e 20 segundos, provar que um gerador de números aleatórios era realmente aleatório. Uma tarefa que mesmo o supercomputador mais poderoso da atualidade, chamado Summit, levaria 10 mil anos para resolver.

Segundo os autores,

“esta aceleração dramática em relação a todos os algoritmos clássicos conhecidos provê uma realização experimental da supremacia quântica em uma tarefa computacional, e marca o advento de um paradigma de computação a muito antecipado [...] Em nosso conhecimento, este experimento marca a primeira tarefa de computação que só pode ser realizada em um processador quântico”.

Em um computador tradicional, um “bit” pode representar apenas um estado de informação por vez, “zero” ou “um”. Mas um bit quântico, ou qubit, pode representar ambos ao mesmo tempo. Combinando qubits a quantidade de informação que pode ser representada cresce exponencialmente.

Em teoria um sistema quântico poderia, por exemplo, quebrar a mais avançada forma de criptografia existente em questão de segundos, simplesmente testando todas as combinações possíveis de uma vez só, uma tarefa que normalmente levaria milhões de anos. Tal poder de cálculo poderia revolucionar áreas como a engenharia de materiais, química e inteligência artificial.

O Sycamore foi originalmente projetado com 72 qubits, mas devido a instabilidade e dificuldade em controlar os elementos, foi eventualmente redesenhado para operar com 53 qubits, o que o torna um dos computadores quânticos mais poderosos no planeta. Nesta semana a IBM também anunciou um sistema quântico com 53 qubits.

Embora os resultados obtidos pelo Google possam representar um marco na ciência da computação, críticos afirmam que a alegação de “supremacia quântica” é exagerada. Isso porque a máquina do Google foi configurada para resolver um problema altamente específico, e não é capaz de executar tarefas generalizadas, como um computador comum.

Em declaração ao Financial Times Dario Gil, chefe de pesquisas da IBM, disse que a afirmação do Google é “indefensável” e “simplesmente errada”. O feito, embora tenha seus méritos, seria

“apenas um experimento de laboratório para implementar essencialmente - e quase certamente exclusivamente - procedimento de amostragem quântico muito específico, e sem aplicações práticas”.

Ainda não se sabe porque o artigo do Google foi removido do site da Nasa. Procurada pelo Financial Times, a empresa não comentou o assunto.

Fonte: Financial Times

Pagamento de Onibus com Celular

Ônibus de SP aceitarão pagamento via NFC com cartão ou celular

Ônibus de São Paulo terão pagamento de passagem por aproximação com cartões contactless, Apple Pay, Google Pay e Samsung Pay

Por Lucas Braga | 11/09/2019 às 17h01 (Tecnoblog)

Pagamento de Onibus com Celular

Usuários de ônibus na cidade de São Paulo contam com uma novidade a partir de setembro deste ano (2019): já é possível encontrar veículos onde é possível pagar a passagem diretamente no cartão de crédito e débito. O serviço está disponível para pagamento por aproximação, que usa a tecnologia NFC para realizar transações. Ele é compatível com Apple Pay, Google Pay e Samsung Pay.

O leitor João Fouyer flagrou uma máquina apta para a nova tecnologia na linha 9300-10 – Terminal Parque Dom Pedro II na tarde de hoje. A máquina era da Prodata e já havia indicações de pagamento com cartões Mastercard e Visa. O tradicional bilhete único continua sendo aceito.

Para pagar por aproximação, é necessário ter um cartão contactless (como o do Nubank, por exemplo) ou outro dispositivo como pulseiras e adesivos. Também é possível fazer o pagamento pelo smartphone ou smartwatch através de carteiras digitais como Apple Pay, Google Pay e Samsung Pay.

De acordo com o InfoMoney, a Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo deverá anunciar a novidade oficialmente na quinta-feira (12) em forma de um projeto piloto que durará três meses e abrangerá 200 ônibus. O site também informa que a implementação nos validadores será feita em algumas linhas pela Cielo e outras pela Stone, e que a parte de bilhetagem será feita com a Empresa 1 e Digicom, além da Prodata.

Rio de Janeiro permite pagar metrô com cartão de crédito

Desde abril, já é possível passar nas catracas do metrô do Rio de Janeiro com pagamento por aproximação. Todas as 41 estações do MetrôRio (linhas 1, 2 e 4) estão equipadas com validadores compatíveis com a tecnologia. No entanto, o pagamento só está disponível para cartões Visa na modalidade crédito, deixando de fora usuários de débito e demais bandeiras concorrentes.

CPU Windows 10

Como corrigir o problema do alto consumo de CPU do Windows 10

Atualização para o Windows 10 aumentou o consumo de CPU deixando os computadores lentos. Veja como corrigir este problema!

CPU Windows 10

A Microsoft atualiza de forma constante o Windows 10 para evitar que ele tenha brechas de segurança, além de adicionar novos recursos ao sistema. Por sua vez, as últimas atualizações para o sistema acabaram trazendo alguns problemas de performance e até mesmo bugs um pouco mais críticos.

Nesta semana, por exemplo, a atualização cumulativa do Windows 10 acabou afetando a performance de muitos de seus usuários, que começaram a ter gargalos na CPU, deixando os seus PCs lentos. A seguir, veja como resolver este problema de performance da última atualização do Windows 10.

Importante

Até o momento da publicação desta matéria, a Microsoft ainda não soltou uma atualização para a correção do problema. Desta forma, o processo demonstrado abaixo não é oficial, sendo recomendado fazer um backup de seus dados ou a criação de um ponto de restauração antes de segui-lo.

Como corrigir o problema de performance da última atualização do Windows 10

O problema de performance que ocorre devido a esta última atualização do Windows 10 se deve a um processo chamado “SearchUI.exe”, que é relacionado a Cortana e aos resultados do Bing no menu Iniciar. Assim, caso você não utilize estes recursos, basta seguir estes passos para desativá-los e diminuir o consumo de sua CPU. Veja:

  1. Aperte junto as teclas “Win + R” para abrir a janela do “Executar” e entre com este comando: regedit;

    Reprodução

  2. Pela coluna da esquerda, acesse este caminho: Computador\HKEY_CURRENT_USER\Software\Microsoft\Windows\CurrentVersion\Search;

    Reprodução

  3. Agora, no lado direito, procure pela entrada “BingSearchEnabled” e dê um clique duplo nela;

    Reprodução

  4. Mude o seu valor para “1” e clique em “Ok”;

    Reprodução

  5. Reinicie o computador.

Após reiniciar o seu computador, a alteração que foi feita no registro do Windows tirará a busca do Bing do menu Iniciar e, caso este esteja sendo o seu problema por conta da atualização, o consumo de CPU deverá ser normalizado. Apesar disto, é preciso lembrar que uma futura atualização do Windows pode alterar este registro e fazer o problema retornar.

Caso esteja querendo habilitar novamente a busca do Bing no menu Iniciar, basta seguir novamente as etapas do tutorial deixando o “BingSearchEnabled” com o valor “0”.

Reprodução

Pronto! Agora, você já sabe como evitar o alto consumo de CPU, que foi causado pela última atualização do Windows 10.

Fonte: Olhar Digital

↓
× Como posso te ajudar?