Hospedagem SSD

Hospedagem SSD: Entenda mais sobre esse tipo de tecnologia

O serviço de hospedagem de site é um dos aspectos essenciais para que qualquer projeto online obtenha êxito, pois uma boa hospedagem traz recursos vantajosos para o seu site ou blog.

Por Redação MC

Hospedagem SSD

Entre eles estão mais segurança, suporte técnico, velocidade para abrir páginas, enfim, tudo o que o seu projeto precisa para se destacar na web.

E quando o assunto é hospedagem de sites, empresas como a Hostinger oferecem serviços que conseguem aliar preços acessíveis com uma boa tecnologia.

Uma dessas tecnologias está relacionada com a capacidade de armazenamento de dados. De uma forma geral, os servidores usam o disco rígido para armazenamento.

Porém, atualmente já há a possibilidade de usar nos servidores uma tecnologia mais vantajosa, que é a SSD.

Compreenda a diferença entre HDD e SSD

Para entender como funciona uma hospedagem SSD, é importante também ter uma breve noção a respeito de como é o funcionamento do HDD, também conhecido como Hard Disk Drive, ou simplesmente, Disco Rígido.

Além disso, eles apresentam em sua estrutura um braço mecânico, bem como um ou até mais discos giratórios. Esses discos giratórios são compostos por uma camada magnética.

É nessa camada magnética que são efetuadas as gravações das informações.

Além disso, na extremidade do braço mecânico está localizado um sensor eletromagnético. É esse sensor que realiza a leitura e a gravação dos dados no disco.

Quando o disco efetua um giro, o leitor magnético precisará estar posicionado no lugar exato onde será realizada a gravação das informações.

O HDD apresenta alguns benefícios, no entanto, uma das desvantagens é a lentidão que pode aparecer durante a leitura dos dados armazenados.

Isso ocorre pelo fato de que o processo de gravação de dados é realizado em alguns setores específicos do disco magnético.

Por causa dessa arquitetura um único arquivo pode ser gravado em setores espalhadas pelo HD, ficando localizado longe um dos outros.

A alternativa viável para sanar esse tipo de problema é realizar, de tempos em tempos, o processo de desfragmentação do disco rígido.

Por outro lado, alguns anos depois surgiu a tecnologia SSD, apresentando algumas vantagens quando comparada com a tecnologia HDD.

A sigla SSD faz referência ao termo Solid State Drive, que ao ser traduzido para o português quer dizer Unidade de Estado Sólido. A função dessa tecnologia é armazenar dados. Além disso, ela pode ser encontrada tanto em PCs quanto em servidores.

É válido destacar que o SSD é um dispositivo concebido para armazenar dados de maneira permanente, com o objetivo de manter as informações intactas ainda que o computador esteja desligado.

O SSD possui uma estrutura que remete aos famosos Pen-Drives. Porém, é óbvio, as suas capacidades de armazenar informações são maiores.

O Solid State Drive não apresenta partes móveis e as informações são registradas e acessadas em um circuito eletrônico.

O SSD é bastante superior em relação ao HDD e apresenta uma série de vantagens que o tornam importante para quem quer mais velocidade e segurança.

De uma maneira geral, é mais caro investir em um SSD, contudo, é um investimento que vale a pena, pois as vantagens que ele apresenta são várias.

Velocidade

A rapidez é uma das virtudes mais evidentes do SSD. Para se ter uma ideia, o tempo de acesso de um dispositivo desses pode ser 10x mais rápido que um HD convencional.

Menor consumo

O SSD oferece menor consumo de energia e também é mais silencioso, pois não apresenta partes móveis.

Mais resistência

O HDD pode ser avariado ou perder dados diante de uma queda ou algum outro dano na sua estrutura. Já um SDD apresenta alta capacidade de resistir a quedas e a vibrações.

Além disso, por fazer uso da tecnologia Flash Disk, o dispositivo SSD apresenta uma possibilidade bem menor de ter arquivos corrompidos.

Para quem é indicada a hospedagem SSD

A hospedagem SSD tem como um dos seus principais atributos a velocidade. Por isso, ela é indicada para os mais variados tipos de sites, especialmente para projetos maiores, que possuem muitos dados e informações.

Nesse caso, é possível afirmar que a hospedagem SSD é uma excelente alternativa para projetos como lojas virtuais, portais de notícias e blogs com elevado índice de acesso diário.

Até mesmo sites estáticos ou blogs que não possuem elevado tráfego podem se beneficiar com uma hospedagem SSD, pois assim mostram para o seu público um comprometimento com a qualidade.

Conclusão

Ao investir em um site ou blog, é fundamental pensar nas características da hospedagem, pois dessa maneira você terá condições de apresentar um trabalho qualificado.

E quando o assunto é qualidade para o seu site, uma das alternativas é o investimento na hospedagem SSD.

Portanto, entre em contato com a Hostinger, uma empresa bem avaliada no segmento de web hosting, e descubra mais características a respeito desse tipo de serviço.

Fonte: Mundo Conectado

Black Friday 2018: como escolher o melhor celular

Veja o que observar na hora de comprar um smartphone Android ou um iPhone

Por Lucas Agrela | 22 nov 2018, 09h56 – Publicado em 21 nov 2018, 05h55

(Reprodução/Getty Images)

Escolher o melhor celular pode ser desafiador porque não existem apenas aparelhos novos disponíveis no mercado. Na Black Friday, o varejo oferece descontos que tornam os produtos mais atrativos, mas você sabe qual é o modelo certo para você? De acordo com um levantamento do site comparador de preços Zoom, os smartphones mais buscados no mês que antecedeu a Black Friday foram os da Samsung e os da Motorola–nenhum iPhone apareceu na lista dos dez mais procurados. Confira, a seguir, o que você precisa saber para comprar o celular certo para você.

Pesquise o ano de lançamento
Nesse aspecto, os smartphones são como os carros: o ano de lançamento importa muito porque determina se ele tem ou não os recursos mais avançados do momento. No entanto, vale também uma breve pesquisa sobre o ano de lançamento do processador. Se ele tiver mais de dois anos, é provável que falte performance para o uso de aplicativos no longo prazo.

A categoria
Com tantos dispositivos disponíveis no mercado, entender quais são as categorias dos smartphones Android pode ser complicado. O iPhone não tem esse problema. Todos os smartphones da Apple são modelos topo de linha, o que muda é o ano. Mesmo o recente iPhone Xr tem poucas diferenças em relação ao Xs, como a tela de LED com resolução HD e a câmera que só usa o modo retrato quando detecta pessoas, e não objetos.

No caso da Samsung, as categorias de entrada e intermediária são compostas pelos modelos da linha Galaxy J. Em seguida, aparece a linha Galaxy A. O modelo Galaxy J8 é o ponto de convergência entre as duas, ele está bem perto da categoria intermediária-avançada. Depois da A, vem a linha S, que, atualmente, está na nona edição, com o Galaxy S9 e o S9+. Acima deles, há apenas a categoria Galaxy Note, que oferece smartphones com até 512 GB de espaço na memória.

No caso da Motorola, são as diferentes versões do Moto G que podem confundir. A versão mais recente é a sexta, que tem o Moto G6 e o Moto G6 Plus. Há o modelo Play, mas seu hardware é inferior ao desses outros dois produtos. A linha Moto G5, do ano passado, ainda está no mercado, assim como algumas unidades do Moto G4. Portanto, é importante ficar de olho. No segmento intermediário-avançado, a fabricante também tem o Motorola One, que é o primeiro a ser lançado no Brasil em parceria com o Google para acelerar a oferta de novas versões do Android. Acima dele, vem a linha Moto Z3 Play–o Moto Z2 Play é do ano passado.

A LG tem as linhas de entrada K, a intermediária Q e a topo de linha G, que está na sétima edição. Há também a linha V, que é vendida somente em lojas oficiais da marca.

No portfólio de produtos da Sony, os aparelhos são ordenados nas famílias Xperia L, Xperia XA2 e Xperia XZ2, sendo este último o topo de linha.

A Asus oferece todos seus smartphones sob um mesmo nome, com diferentes versões. Neste ano, os mais novos são os Zenfone 5. De baixo para cima, as versões disponíveis são Selfie, Selfie Pro, 5 e 5Z. Vale notar que a configuração de RAM e espaço na memória podem variar de versão para versão.

De olho na tela
A tela é um dos componentes mais caros em um smartphone. Portanto, se ela for grande ou tiver alta resolução, o preço será maior do que o de um dispositivo com tela pequena com menos resolução. Outro diferencial que pode aumentar o preço é a tecnologia usada no painel. De maneira parecida com o que acontece nas TVs, há duas tecnologias principais: o painel de LCD retroiluminado por LED e o Amoled, que tem pixels que se iluminam com corrente elétrica e, portanto, oferecem maior fidelidade de cores e melhor reprodução de diferentes tons de preto e cinza.

Processador
A Qualcomm está presente em um grande número de smartphones vendidos atualmente. A marca oferece processadores Snapdragon de diferentes categorias. A família 400 é a de entrada, a 600 é a intermediária e a 800, a topo de linha. Se você se deparar com um smartphone que tem processador Snapdragon 625, por exemplo, saberá que ele foi concebido como um intermediário. Já um Snapdragon 845 só será visto em um aparelho com tecnologia de ponta.

RAM
RAM é a memória volátil do seu smartphone, aquele que é usada para executar uma tarefa, mas que não grava dados permanentemente. Na categoria intermediária-avançada de smartphones, a média de RAM é de 3 GB. A orientação aqui é simples: quanto mais, melhor.

Fonte: EXAME.com

Conheça o Nybble, o gato robô feito em código aberto

Campanha de financiamento vende kits para serem montados pelo usuário

Por Ariane Alves | 31 out 2018, 09h00

Nybble, o gato robô feito em código aberto
(Nybble/Divulgação)

Interessado em aprender programação e robótica? Um grupo de programadores de Pittsburgh, nos Estados Unidos, lançou uma campanha de financiamento para vender kits robóticos de código aberto com peças que podem ser montadas pelo usuário. O resultado é o Nybble, um simpático gato capaz de se mover e responder aos estímulos externos.

O gatinho é movido por um microcontrolador compatível com o sistema Arduíno instalado em uma placa, a NyBoard, e armazena “memória muscular” instintiva para se movimentar. Cada kit contém as peças eletrônicas para o funcionamento do sistema e as peças de madeira para encaixar e montar o gato.

No momento, é possível adquirir quatro kits diferentes. O mais simples é a NyBoard, que custa 45 dólares (cerca de 170 reais, em conversão direta) e permite ao usuário criar seu próprio animal, tendo acesso às mesmas funcionalidades do Nybble. O mais completo é um kit com dois gatos, que custa 390 dólares (cerca de 1.450 reais, em conversão direta) e inclui todas as peças necessárias para criar um sistema que os façam interagir entre si.

Inicialmente em fase de protótipo, a campanha já arrecadou mais que os 50 mil dólares (cerca de 185 mil reais, em conversão direta) necessários para entrar em fase de produção e espera entregar os kits aos clientes em abril de 2019.

“Nybble é o gato robótico mais leve e mais rápido que realmente anda. Construído em uma plataforma de código aberto, o Nybble tem infinitas possibilidades na maneira como você pode “ensinar” truques, comportamentos e atitudes de gatos enquanto programa e o ajuda a crescer. Você pode até montar um Raspberry Pi para ajudar o Nybble a pensar!”, diz o texto da campanha de financiamento.

Com aprimoramentos como a adição de um chip opcional de inteligência artificial (feito em Raspberry Pi), os gatos podem se comunicar e armazenar informações para evoluir o aprendizado, a percepção e as tomadas de decisão. A programação do gato pode ser feita em várias linguagens e suas ações demandam comandos bastante simples, como “andar” ou “virar à esquerda”.

↓
× Como posso te ajudar?