LG lança smartphone capaz de repelir mosquitos

Chamada de “Mosquito Away”, a função que vai ajudar os donos do K7i a se livrarem dos insetos não é inédita em um produto da LG.

Mosquito Away

A LG anunciou na última quarta-feira (27) um novo smartphone exclusivo para o mercado indiano. O dispositivo traz configurações básicas, como tela de 5 polegadas, 2 GB de memória RAM e 16 GB para armazenamento de arquivos. Até aí tudo bem, nada de muito inovador. Mas a novidade vem agora: o novo LG K7i utiliza uma tecnologia de ondas sonoras ultrassônicas capazes de repelir mosquitos.

Chamada de “Mosquito Away”, a função que vai ajudar os donos do K7i a se livrarem dos insetos não é inédita em um produto da LG. Ela já deu as caras em dispositivos como aparelhos de ar condicionados e televisores produzidos pela fabricante sul-coreana. Apesar disso, não há qualquer comprovação científica de que ondas ultrassônicas sejam realmente capazes de afastar os mosquitos.

Complementam as especificações do dispositivo um processador não especificado quad-core de 1,1 GHz e suporte para cartão microSD de até 256 GB. O dispositivo estará à venda na Índia por 7.990 rúpias, cerca de R$ 385 em conversão direta.

Fonte: Tecmundo

Falha grave no Bluetooth coloca bilhões de dispositivos em risco

Se você tem qualquer dispositivo Bluetooth, seja ele um celular, tablet, notebook, TV ou qualquer outro aparelho, é importante atualizá-lo o mais rápido possível.

Bluetooth
(Foto: Reprodução)

Uma grave falha no sistema de transmissão pelo ar dessa tecnologia tem colocado bilhões de máquinas em risco ao redor do mundo.

Não são milhões, mas bilhões, mesmo. A falha foi descoberta pela empresa de segurança Armis, baseada nos EUA, e ganhou o nome de "Blueborne". Segundo os pesquisadores que revelaram a brecha, mais de 5,3 bilhões de dispositivos estão em perigo, incluindo aparelhos com Windows, Linux, iOS e Android.

Um hacker mal intencionado que quiser explorar o Blueborne pode ganhar acesso total e remoto ao celular ou PC da vítima em questão de segundos, muitas vezes sem que o usuário perceba. O problema está no BNEP, um protocolo que permite o compartilhamento de internet por meio do Bluetooth (também conhecido como tethering).

"Por conta de uma falha no BNEP, um hacker pode aplicar uma corrupção cirúrgica de memória, o que é fácil de explorar, e dá a ele o poder de ativar códigos no dispositivo, efetivamente garantindo a ele controle completo", afirmou a Armis. Com base nisso, o criminoso pode redirecionar todos os dados da vítima para outra máquina, permitindo uma espécie de "clonagem" das informações. Tudo sem sequer exigir pareamento.

Naturalmente, antes de divulgar a existência do Blueborne, a Armis explicou os detalhes da falha para a maioria das grandes empresas de software do mercado. Isso significa que a Microsoft já corrigiu o problema no Windows e a Apple já atualizou o iOS. O Google deve liberar uma correção para o Android ainda nesta quarta-feira, 13.

Ou seja, a solução é manter seus dispositivos Bluetooth atualizados e evitar celulares, tablets ou PCs muito antigos que não têm mais suporte para atualizações.

Fonte: Olhar Digital

 

 

Popularidade das ligações pelo WhatsApp cai no Brasil

De acordo com dados da pesquisa “Mensageria no Brasil”, feita pela Opinion Box em parceira com o MobileTime, menos pessoas estão fazendo chamadas de voz pelo WhatsApp no país.

Whatsapp

Segundo o estudo, realizado em julho deste ano, 56% dos usuários do mensageiro verde realizam ligações pelo app pelo menos uma vez por mês. Em janeiro, esse percentual chagava a 65%.

A queda é interessante porque, até então, os números do WhatsApp no Brasil e no mundo não demonstravam essa tendência  para um futuro tão próximo. Ainda assim, as pessoas que utilizam o recurso de voz do mensageiro afirmaram que fazem mais ligações pelo WhatsApp do que pela rede celular tradicional, usando seus planos de minutos.

pesquisa sobre uso mensageiros

Sobre o caso, a Opinion Box especula que a razão para a queda na quantidade de usuários mensais do recurso de chamada de voz do WhatsApp é devida ao “contra-ataque” das operadoras. OiTIM, e Claro adotaram há dois anos uma nova estratégia de preços para ligações fora da sua rede. Com a simplificação dos preços, os clientes estariam se sentido mais seguros para ligar para amigos e familiares que usam operadoras diferentes da sua. Dessa forma, não seria mais necessário usar o WhatsApp para isso.

Outro aspecto que poderia estar impactando no desempenho do app, segundo a pesquisa, é o fato de as mesmas três empresas terem recentemente liberado ligações ilimitadas para contatos de outras operadoras em planos pós-pagos. A Vivo também começou a fazer o mesmo, porém depois de a pesquisa ter se iniciado.

Mais qualidade

Fora essas duas possibilidades, as chamadas de voz via operadora de celular podem ficar mais populares em breve. Vivo e TIM lançaram há poucos meses em algumas cidades brasileiras a tecnologia VoLTE, que é basicamente a possibilidade de fazer chamadas de voz na rede 4G. Com isso, as ligações são conectadas de forma praticamente instantânea, e a qualidade do som é bastante superior. Entretanto, apenas smartphones mais caros são compatíveis com isso, e ainda não há a possibilidade de fazer uma conexão VoLTE entre clientes de operadoras diferentes.

De qualquer maneira, esse impacto negativo na quantidade de usuários do recurso de voz do WhatsApp pode ter mais a ver com outros fatores. O mesmo estudo identificou que, em janeiro deste ano, 98% dos internautas brasileiros utilizavam o WhatsApp em seus smartphones. Em julho, entretanto, esse percentual caiu para 95%.

mensageiros mais populares

A diferença é pouca, mas supera a margem de erro, que é de 2,2%. Ou seja, caso a pesquisa tenha sido tão bem elaborada quando foi no começo do ano, ela realmente identificou uma queda na quantidade de usuários ativos por mês no mensageiro. Com menos pessoas na plataforma, é natural que haja também uma queda no seu serviço de voz.

Contudo, os principais concorrentes da plataforma no Brasil, o Facebook Messenger e o Telegram, também perderam um pouco da sua base de usuários únicos por mês. De qualquer maneira, é interessante ressaltar que essa pesquisa chegou a esses dados através de entrevistas na web, e números oficiais desses três mensageiros não foram divulgados para o mesmo período.

Fonte: tecmundo.com.br

↓
× Como posso te ajudar?