Chip é implantado em funcionários de empresa dos EUA

Brasil será nosso próximo mercado’, diz CEO que implantou chips no corpo de funcionários nos EUA.

Chip implantado em funcionários de empresa dos EUA para abrir portas e autorizar compras
Foto: Divulgação/Three Square Market

Maioria dos funcionários da empresa de tecnologia Three Square Market já convivem com corpo estranho, do tamanho de um grão de arroz, aplicado com seringa sob a pele entre os dedos polegar e indicador.

Um mês após o anúncio, passado o frenesi inicial da imprensa americana, 61 dos 80 funcionários da Three Square Market já convivem com esse corpo estranho, do tamanho de um grão de arroz, aplicado com uma seringa sob a pele entre os dedos polegar e indicador.

O chip funciona como um código de barras e permite que leitores digitais identifiquem o nome, a área de trabalho e até mesmo o cartão de crédito dos funcionários que decidem comprar algo para lanchar na cantina da empresa.

“A adesão foi totalmente voluntária. Eu mesmo me surpreendi com o interesse. A moral da história é que somos uma empresa de tecnologia e os funcionários naturalmente se interessam pelo que é novo”, disse à BBC Brasil Todd Westby, CEO da Three Square Market, que era conhecida até hoje como produtora de máquinas de autoatendimento, como aquelas que vendem latinhas de Coca-Cola no metrô ou substituem o trabalho dos operadores de caixas em supermercados.

Tratada por Westby como o início de uma “revolução como foi a do iPhone”, a tecnologia também desperta preocupações e críticas, já que poderia ser utilizada, teoricamente, para monitorar momentos de descanso de empregados ou os trajetos feitos por seus usuários, incluindo locais mais frequentados e hábitos de consumo.

Para que esse tipo de monitoramento fosse possível, entretanto, o chip subcutâneo precisaria ter um dispositivo de GPS – algo que não está presente na versão instalada nos funcionários da empresa de tecnologia.

Pelo menos por enquanto. “Nós já desenvolvemos toda a tecnologia de um GPS alimentado pela energia do corpo. Agora estamos trabalhando para reduzir o tamanho do dispositivo até que seja possível implantá-lo”, diz Westby à BBC Brasil.

Tornozeleiras

O empreendedor diz que, num futuro próximo, a tecnologia poderá ser usada para substituir documentos, fichas médicas e até tornozeleiras eletrônicas – bastante conhecidas no Brasil graças a sentenças recentes da operação Lava Jato.

“As sociedades estão cada vez mais substituindo o dinheiro vivo por outras formas de pagamento. O papel também está sumindo. O chip poderá substituir passaportes e você não vai mais correr o risco de ter o seu roubado ou de perdê-lo. Uma pessoa com Alzheimer ou doenças de memória poderá ter toda a lista de remédios que consome detalhada no chip quando for a uma emergência ou visitar um novo médico”, diz.

“As tornozeleiras eletrônicas existem para monitorar pessoas condenadas, mas são caras e têm logística difícil. O chip resolveria isso”, continua.

Neste ano, pelo menos cinco estados brasileiros – Goiás, Espírito Santo, Piauí, Alagoas e Rio de Janeiro – registraram falta de tornozeleiras por excessod e demanda. Em julho deste ano, o ex-assessor do presidente Michel Temer Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), flagrado com uma mala com R$ 500 mil, foi alvo de investigação por supostamente ter “furado a fila da tornozeleira”.

O ex-ministro Geddel Vieira Lima, que teve prisão preventiva decretada por suposto envolvimento em corrupção, teve sua liberação para o regime semi-aberto atrasada também pela escassez do equipamento.

A empresa de Wetsby, um economista que migrou para a industria da tecnologia em 1997, é a primeira de que se tem conhecimento nos EUA a implantar chips em funcionários.

Agora, com seis patentes diferentes em processo de registro, ele quer vender a tecnologia para diferentes setores.

Brasil

“Dois hospitais brasileiros já nos procuraram querendo experimentar a tecnologia”, diz o executivo à BBC Brasil.

Wetsby se limita a dizer que um deles está em São Paulo, mas não revela nomes “porque as negociações ainda estão em andamento”.

“O Brasil será nosso próximo mercado. Sei que vocês também têm uma demanda muito grande no sistema penal”, diz o CEO. “Também estamos conversando com Espanha, Canadá, México e outros lugares.”

A reportagem questiona se a implantação dos chips nos funcionários não foi uma estratégia de marketing, já que garantiu visibilidade à empresa e abriu as portas para interessados na tecnologia. Westby jura que não.

“Zero marketing, você acredite ou não. Nós somos uma empresa de tecnologia. Achamos que seria divertido fazer esse teste, ficamos empolgados e os funcionários também. Mandamos, claro uma divulgação para a imprensa como fazemos sempre, mas não sabiamos que causaria uma comoção tão grande.”

O lançamento da tecnologia, em 1º de agosto, reuniu dezenas de equipes de TV na pequena cidade de River Falls, de 15 mil habitantes.

Entre os entrevistados estava uma funcionária que não aceitou receber o chip.

“Eu ainda não vi pesquisas sobre os efeitos a longo prazo na saúde. Isso me deixa um pouco preocupada. Ainda é um objeto estranho sendo colocado em seu corpo”, disse a executiva de marketing Katie Langer em entrevista à NBC News.

Futuro

O chip usado pela empresa já permite que funcionários se identifiquem em catracas e roletas, utilizem computadores e máquinas de fotocópias e paguem por produtos consumidos na cantina. O chip funciona a uma distância máxima de 15 centímetros dos leitores.

Segundo o criador, ele pode ser removido em poucos minutos com ajuda de um médico ou enfermeiro – da mesma forma com que foram inseridos.

“A tecnologia que estamos usando é passiva. Não tem GPS, portanto o hackeamento é impossível”, responde o empresário.

A reportagem lembra que ele havia dito há pouco que está desenvolvendo uma versão com GPS. “Sim, mas até que tenhamos a tecnologia 100% segura, ela não será lançada”, responde.

Os usos do chip subcutâneo, segundo seu criador, poderiam incluir monitoramento de crianças em regiões com alta incidência de tráfico infantil ou de animais domésticos, cuja fugas poderiam ser evitadas ou controladas.

Em 2015, um boato de que a então presidente Dilma Rousseff implantaria chips nos brasileiros para substituir documentos como RG e CPF foi o assunto mais buscado no país pelo Google durante semanas.

A informação era falsa. Dilma não havia sancionado ou discutido qualquer lei sobre microchips – mas discutia a criação de um novo cartão chamado Registro de Identidade Civil, que possuiria um chip como os presentes em bilhetes de ônibus ou cartões de crédito.

Para Wetsby, a comoção ocorrida à época no Brasil deixará de ocorrer em alguns anos.

“As pessoas se preocupavam com dados pessoais na internet e hoje fazem questão de compartilhá-los para receberem indicações de sites e produtos que têm a ver com seu perfil. Todo mundo ficou chocado com o GPS do iPhone e hoje gosta quando o telefone recomenda trajetos mais inteligentes. No futuro, com os chips, será a mesma coisa: os que hoje se preocupam vão querer tê-lo para conseguir acesso rápido a produtos customizados e ter mais segurança do que com papéis ou documentos que podem perder.”

Fonte: g1.globo.com

Como remover adwares e propagandas do navegador

Instalar extensões no navegador é algo interessante, porém é preciso tomar muito cuidado ao selecionar o que você deseja usar. Muitos plugins são, na verdade, adwares disfarçados de complementos, que não possuem muita utilidade e enchem o seu navegador de propagandas desnecessárias.

Muitas vezes, esses adwares são ativados na hora em que você está instalando um programa, se você não prestar atenção. Isso já deve ter acontecido: você abre o instalador de um software gratuito e, durante o processo, ele pede para que você autorize o uso de um plugin, barra de pesquisa ou outro tipo de complemento.

Como saber se o meu navegador está infestado com isso?

Primeiramente, pode ficar tranquilo: na maior parte dos casos, esse tipo de complemento, mesmo que irritante, não causa maiores danos ao seu computador, como acontece com um vírus. Mesmo assim, não é nada interessante manter esse tipo de plugin no seu navegador.

Banners localizados em locais incomuns são um sinal de extensões maliciosas instaladas. (Fonte da imagem: Reprodução/Tecmundo)

Para saber se você possui complementos desse tipo no seu browser, repare se você anda recebendo propagandas em sites que não possuem esse tipo de elemento. Um teste simples é acessar a própria home do Facebook; se existir publicidade em áreas dessa página que não costumam estar lá normalmente, isso quer dizer que você possui adwares instalados sem saber.

Outro tipo de adware é aquele que cria links em palavras no meio do texto, aleatoriamente. Quando você passa o mouse por cima do trecho, ela mostra uma caixa de propaganda que tem relação com o que está escrito. Alguns sites possuem esse tipo irritante de publicidade nativamente, porém, se você começar a ver isso em todos os lugares, desconfie — o problema pode ser o seu navegador.

E agora, o que eu faço?

(Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock)

Nada de pânico, a solução para isso é muito simples! Se os complementos é que fazem com que o seu navegador fique maluco desse jeito, basta desativá-los e tudo volta ao normal, certo? Exatamente. Uma vez que você retirar do browser as extensões indesejadas, ele volta a mostrar os sites corretamente, sem propagandas a mais.

Para fazer isso, encontre a janela de plugins do seu navegador. No Firefox, você precisa clicar no menu “Firefox” (aquele botão laranja) e escolher a opção “Complementos”. No Google Chrome, clique no ícone em forma de ferramenta e vá até Ferramentas > Extensões.

No Internet Explorer, clique no botão em forma de engrenagem e escolha a opção “Gerenciar Complementos”. No Opera, clique no menu “Opera” (no canto superior esquerdo) e siga o caminho Extensões > Gerenciar extensões. Por último, no Safari, você deve clicar no ícone em forma de engrenagem e ir até Preferências > Extensões.

 

Ok, você está na janela de complementos do seu navegador, agora é a hora de desinstalar todo o lixo. Veja tudo o que você não tem certeza do que é, extensões que prometem indicar promoções, elementos duvidosos e tudo o que você não se lembra de ter escolhido instalar, e desative-os. Na dúvida se um plugin é prejudicial ou não, é melhor retirá-lo também.

No Google Chrome, basta desmarcar as extensões problemáticas. (Fonte da imagem: Reprodução/Tecmundo)

Pronto! Alguns navegadores, como o Firefox, pedem para que você reinicie o browser para que as mudanças sejam efetuadas; outros, como o Chrome, não necessitam desse tipo de ação, basta recarregar as páginas abertas e ver os anúncios indesejados sumirem. É recomendado também limpar o cache e apagar os cookies, só por garantia.

Não era esse o problema?

Se você usa o Firefox e ainda continua com uma barra de pesquisa perdida por aí ou mesmo com complementos que mudam o serviço de buscas do seu navegador, pode ser preciso fazer uma limpeza mais pesada. Acesse este tutorial e veja como eliminar de vez qualquer conteúdo indesejado desse navegador.

Fonte: tecmundo.com.br

Confira 6 novos recursos que farão parte do futuro Android O

Rumores apontam para um lançamento próximo do Android O: a nova versão da plataforma móvel do Google pode ser lançada já na semana que vem, no dia 21 de agosto.

Android O
(Foto: reprodução/Android Central)

Confira abaixo 6 novos recursos incríveis que foram adicionados ao novo sistema operacional:

Inicialização mais rápida

O Google promete que, com o Android O, você vai levar metade do tempo para iniciar o smartphone: ele terá o dobro da velocidade ao abrir, o que deve melhorar o desempenho de apps e a autonomia da bateria, segundo a empresa.

Nova forma de ver notificações

Além de puxar a barra de notificações, o Android O vai oferecer outra forma do usuário conferir qual aviso determinado app está dando. Na página inicial do Android, um app que exibe uma notificação ganha uma pequena bola na parte superior direita – tocando nele, o usuário pode ver exatamente qual é a notificação sem precisar abrir a barra de notificações no topo da tela.

Desativar notificações temporariamente

As notificações vão ganhar um recurso “soneca”: com ele, o usuário vai poder escolher para determinados apps não exibirem notificações durante um tempo específico – como 15 minutos, ou 2 horas.

Nova área de configurações

A área de configurações foi completamente redesenhada para oferecer navegação mais simples e rápida, segundo o Google. Agora diversas das categorias foram unificadas, oferecendo uma visualização mais intuitiva para o usuário.

Recurso picture-in-picture

Com o modo picture-in-picture, você vai poder, por exemplo, assistir a um vídeo enquanto navega em outro app no seu smartphone. O recurso exibe uma pequena caixa por cima do app que está sendo usado com uma imagem de algo que esteja rodando em segundo plano.

Nova seleção de texto para nomes, endereços e telefones

A ferramenta de seleção de texto ganhou algumas modificações e ficou mais útil no Android O. Uma delas é a facilidade para selecionar nomes completos: basta segurar qualquer parte do nome que o Android automaticamente seleciona ele inteiro.

Além disso, ao selecionar um número de telefone o Android vai dar a opção do usuário abrir o app de telefone imediatamente. O mesmo vale para endereços: selecione um endereço em qualquer parte do texto e o Android vai sugerir que você abra o Google Maps para buscar aquele endereço.

Fonte: Olhar Digital

Jeff Bezos, da Amazon, ultrapassa Bill Gates como homem mais rico do mundo

Há muitos anos, Bill Gates detém o título de pessoa mais rica do mundo. Vez ou outra, alguém consegue ultrapassá-lo, mesmo que temporariamente. Desta vez, ele foi colocado em segundo lugar por Jeff Bezos, fundador da Amazon.

De acordo com uma lista em tempo real da Forbes, Bezos detém cerca de US$ 90,3 bilhões, contra US$ 90 bilhões do cofundador da Microsoft.

Jeff Bezos

Boa parte da riqueza de Bezos vem das ações da Amazon, que dispararam 40% no último ano. Ele também é dono do jornal The Washington Post e da empresa de foguetes Blue Origin.

Enquanto isso, a maior parte da riqueza de Gates vem de ações da Microsoft, que também valorizaram bastante no último ano. Além disso, ele possui participações em outras empresas através da Cascade Investments. A Forbes não inclui as contribuições dele para a Bill & Melinda Gates Foundation.

Desde 2000, Gates esteve 13 vezes em primeiro lugar na lista de bilionários da Forbes. Ele foi ultrapassado por Carlos Slim, dono da Claro, entre 2010 e 2013; e pelo investidor Warren Buffett em 2008.

Com informações: New York Times.

Por Felipe Ventura 27/07/2017 às 12h05 – (tecnoblog.net)

Leia também 15 previsões de Bill Gates que se tornaram reais

Kaspersky lança antivírus gratuito para Windows

Demorou, mas a Kaspersky lançou uma versão gratuita de seu antivírus para Windows. O Kaspersky Free não possui recursos como controle parental e VPN ilimitado, mas tem a mesma capacidade de detecção de malwares das versões pagas.

Por  – 26/07/2017 às 10h06 (tecnoblog.net)

Kaspersky

A versão gratuita do Kaspersky estava sendo testada há mais de um ano em alguns países nórdicos, além da China e Rússia; ele verificava sua localização e bloqueava a utilização se você não estivesse em uma dessas regiões. Agora, o Kaspersky Free está disponível no mundo todo — haverá uma versão em português em setembro, mas você já pode instalá-lo no Brasil.

A empresa diz que o Kaspersky Free não concorrerá com as versões pagas, como o Internet Security, que custa R$ 69,90 por ano, porque elas trazem funcionalidades adicionais, como proteção contra espionagem, bloqueio de sites impróprios e segurança extra no internet banking, “que justificam facilmente o custo de uma proteção premium”.

Kaspersky Grátis

Além disso, como a Kaspersky utiliza aprendizagem de máquina para descobrir ameaças e melhorar seu motor de detecção, os novos usuários que a empresa atrairá com a versão gratuita ajudarão a aprimorar o antivírus para todos, inclusive os pagantes.

Você pode baixar o Kaspersky Free nesta página.

Está com algum suspeita de vírus em seu equipamento e não consegue resolver, fala com a Diagonal Informática.

↓
× Como posso te ajudar?